CORDEL

LIRA PAULISTANA


 CORDEL PARA UM GOLPE

Passeatas, manifestos
Povo nas ruas berrando
Em defesa da nação
Queremos democracia
Voto nas urnas, fé no coração
Denúncias no exterior
Ocupações em todo canto
Nada põe fim ao rabo preso na corrupção!




Aécio, Temer, pilantras
Rede globo por trás, que horror!
Engendram um golpe afinal
Orquestram um mimimi,
Numa cartinha qualquer
FURNAS desculpa pra briga
Bota o Cunha a conspirar o SIM
Dos deputados para do povo zombar!


Lula vem para ajudar
Mas Ministro sem processo
E com investigação em curso
Pode não, Gilmar prende a nomeação!
Mas agora, agora pode
Sete ministros corruptos
Um deles é criminoso, que é que tem?
Nada vem ao caso, eis a questão!


Engendraram uma ponte
Que caminha pra desgraça
Temer comanda a casa
Serra privatização
Alckmin manda aliado
Reprimir opinião
Ministro da Justiça
É um poço de podridão!




Querem o fim do PT
Dilma e Lula na prisão
Até capa da VEJA já mostrou a servidão
ÉPOCA, EXAME, ESTADÃO,
VEXAME de mentira em exaustão!
Rede Globo bramindo o tambor
Eclodindo propagandas sem louvor
Crise vencida! Acabou a Corrupção!


Mas Dilma se eleva maneira
Desfila no carrossel,
Ganhando flor dos mais simples
Homens, índios, sem terra,
Sem teto, Lésbicas, Gays
Marcham pelas ruas do país
Mulheres estéreis em luta
Parindo o Futuro, novo Amanhã!




Manifestações contra o golpe
Artistas, idosos, crianças,
Alunos secundaristas,
Apanhando da polícia
Fazendo jogral na Paulista
Todos sabem que é em vão!
União pra derrubar a Dilma
Corruptos enganando a nação.




O parcial Moro persegue
Um só lado da questão
Acusa Lula ladrão e não o prende
Por falta de provas após delação!
Sem Dilma vão cassar direitos
Agradar os empresários
Se safar da Lava jato
Que pra Eles vem a trem!




Lula tem força invisível
Se o matarem vira mito
Um novo líder nordestino
Preso vira herói injustiçado
Manifestações pra inocentá-lo
Se o deixarem livre, quietinho!
Em 2018 será nosso presidente
Sem opção, Direita está perdida


SUS pode acabar diz Ministro
Saúde não deve ser direito universal
Faltam recursos pra suprir
O que está previsto no orçamento
Não quero que o ódio tome conta de mim
Não quero me sujar com sentimentos ruins
Mas oro a Deus pra nos poupar
E, por favor, nos livrar deste imbecil! 



Ao pato inflável da Paulista
Coxinhas vão cantar a festa
Da aposentadoria aos 75
Do fim da farmácia popular
Da redução do SUS para todos
Do fim da SAMU pra deficientes
Do fim do Mais Médicos pros pobres
Do fim da Minha Casa, Minha Vida

Da terceirização do trabalho

Ou de sua flexibilização
Igual a China sem direitos
Almoçar em meia hora
Aumentar horas a mais
Diminuir os salários
A bel prazer do patrão!
O fim dos Direitos Humanos
Volta da truculenta repressão policial




Padilha hoje se saiu com esta:
Mulher vive mais que homem
Ajuda a quebrar a Previdência
Pra resolver esse "pobrema"
O jeito é mudar legislação
Regras iguais para ambos
Aposentadoria aos 65 anos
E se reclamar pode ser pior!

Lei Rouanet é pra vagabundo
Que mamou nas tetas do PT
Investigação Moro descartou
Pois os maiores usuários
São tucanos, sim senhor!
Itaú e  Rede Globo
Lideram o ranking
Dos que mais ganhou!!

Grita, grita Ciro Gomes
que estes podres pagos bonecos
não sabem o que estão fazendo
Ou sabem???? Idiotas!
Marionetes da FIESP
Deixa a terceirização
e flexibilização chegar!
Seu décimo terceiro esfumar

Marionetes dos EUA
Rede Globo no ar
Deixa as privatizações
Te roubar o pré sal,
Que ainda é nosso,
Mas não mais será! Otários
Sem Educação, sem SUS
Vocês vêm aqui me xingar?



Há muito não via a esquerda
Reagir com tanta convicção
Vontade política e opinião
Talvez a lama de Mariana
Tenha tornado a nação
Mais objetiva, mais clara, contra a
MP 727 e a desestatização!
Fora "Serra" Treme Temer
nunca mais!



O pré sal para a CHEVON
Banco Central, Infraero
EUA , o líder, quer privatização
A UNASUL fica contra,
Mas nada se pode fazer
Agora inventam um truque
Aumentam o déficit fiscal
Tranquilamente podem roubar sem igual!


E pra melar este cordel
Gilmar Mendes decretou
Aecinho absolvido
Muito antes de encerrar
Buscas de provas pra investigar
Ou a defesa se pronunciar
Quem vai mexer com PSDB
Ou com a Globo se meter?

Aecinho, “coitadinho”
Mais uma vez se ferrou
Foi tanto o que trabalhou
Pelo golpe que o burlou
Agora é ultrajado
Por seu partido malhado
Fora de 2018 e de novo
Perde eleição que não ganhou!

Em frente à casa do Temer
Uma concentração se formou
Guilherme Boulos e o povo
Com muita garra lutou
Sem teto, Sem terra
Mulheres, homens, crianças
O Minha Casa Minha Vida
Que a ponte pra desgraça acabou!



Indignados de dor
Implorando por amor
Orando no chão mulher orou
Dispersos por jatos d’água
Noite fria de domingo gelou
Bombas de gás, lágrimas reais
Tropa de choque de Alckmin
Cenas dantescas gerou!


Irados com tal vergonha
Bairro vizinho do golpista se rebelou
Serenata contra o golpe
Em frente o Palácio se formou
Violão, sax, pandero, percussão
Versão de “Carinhoso” numa nova canção
“Meu coração/ Não sei por quê/
Tem um infarto quando te vê”

E a mãe da bela, pura
Recatada e do “dólar”
Saiu na janela e falou
Michelzinho febre tem
“Saiam daqui, por favor”
E logo homem lembrou
Que lá na periferia 
Miseráveis também têm!




Vizinhos do bairro nobre
De novo voltam às bases
É o Arraiá Fora Temer
Espontaneamente se unem
E se divertem sem vintém
Ninguém vai matar no meu povo
Alegria da liberdade criar
E pela democracia saber lutar!

Revista Veja exalta dois estados
“Educação” e “Segurança”
Paraná e São Paulo governados
Geraldo Alckmin e Beto Richa,
Escândalos ligados à violência
Repressão a professores estudantes
Cuidar de privilégios dos mais ricos
Sem defesa de direitos dos mais pobres



Só se for aquela que se vê na Paulista
Selfies abraçados aos PMs
Crianças no colo de policiais
Ou em torno de um pato plagiado...
Acampamento por mais de vinte dias
Regado à filet mignon da burguesia
Direito ao uso de banheiros da FIESP
Somente a quem tivesse seu crachá!


Segurança é aquela que não se conta
Porque é perigoso se mostrar
Quando PMS matam negros na favela
Fuzilam sem dó nem piedade
Sem saber se era o ladrão
Que ricos querem humilhar
E protege todos os ladrões
Colarinho branco da nação



PM mata criança... Faz diferença
Ela estar ou não armada?
Ou ter ou não disparado?
O que está em jogo é ação da PM
Que lei nenhuma obedece
É um grupo de extermínio
Age, executa sem pensar
Com aval da sociedade civil!




No diálogo contra a mentira
VEJA, antes de reciclar, você deve rasgar!
Pode rasgar também a ISTO É? Deve!
EXAME, ISTO É e VEJA é um "VEXAME"
VEJA, ISTO É, ÉPOCA de rasgar as três!!!
Deve-se furtar e burlar as mentiras
Que estão soltas por aí, pois na ABRIL
Todo dia é Primeiro de Abril!



Jucá é pego em flagrante
Numa conversa grampeada
O tal governo de Temer
Ia salvar Globo de sonegação
O cunha da prisão
O Aécio da condenação
Por um fim na Lava Jato
E viva a corrupção!

Vaza Sergio com Renan
Outro áudio com Sarney
Escancara a face oculta
Deste golpe pra valer!
Não tem mais como esconder
Nem como se defender
A não ser “culpar” Jandira
De mandante do ato insano ocorrer!

23 de maio de 2016... Dia histórico!
Treme Temer aliados Globo,
EUA e até Alemanha
E, principalmente, a Suprema
Rose Weber,  tão  “ingênua”!!!
E um montão de coxinhas e cia.
Ops! CIA... Descobriram que é " Golpe!"
O GOLPE que visível agora é!


Levanta a mão, meu irmão
Quem vergonha agora tem
Por ter defendido o vai vem
Troca de ministros do bem
E que o Romero Jucá
Iria se enraizar no poder
Pelo mesmo tempo
Que os bandidos do PT!

A Lava Jato quer mostrar serviço
Vara comprida pra PSDB,
Um a um caem ídolos de barro
Mas coxinha se mantém em pé
Com velhas opiniões amareladas
Ódio puro ao “Idealismo do PT”
Que país é este que é preciso defender
O óbvio que não se pode esconder?


2016 o espaço é da mulher
Camila Lanes e as meninas
Reagem às bombas na Paulista
Com jogral a uma voz
São elas quem vão à luta
Em defesa do melhor
Escolas pra todo mundo
Na fila ninguém perde a vez!

Alexandre Frota na educação?
Coisa mais suja e sem noção
Temer e aliados são tão nulas suas
Chances numa próxima eleição?
Que o correto é roubar, o máximo
Que conquistar e depois se aposentar?
Lula e Dilma que se danem
E quem mais vier pra consertar?



Escola é lugar de livros
Cultura, diálogo e reflexão
Espaço pra Paulo Freire
O oprimido e sua "Razão"
Aluno tem que ser ouvido
Merenda na mesa da molecada
Frota e tropa de choque
Jeito maneiro, combina não!!!

Excludente ou inclusiva
Qual será a ideologia
Da escola sem partido?
É só olhar quem a quer:
MBL, Revoltados On line
Frota e Ministro atual
Contra escola sem partido
Sala de aula sem censura

Quem sonha formar cidadãos
Tem que ler várias opiniões
Obra libertária de Freire
Prioriza o diálogo, democracia
Aceitando as contradições
Rasurar Wikipédia é abuso
Além da desonestidade Intelectual
Impõe um  só lado da questão 



Escola apartidária não existe
Toda opinião é política
Inclusive a sua, além da minha
Não se esqueça que o aluno
Tem que aprender a pensar
E ao professor cabe "OPORTUNIZAR"
Dialética de Paulo Freire
Continua a ser a pedagogia ideal


Cultura de gêneros?
Meninas de um lado
Moleques de outro
É tudo bem simples assim
Se alguém xingar de viado
Cale a boca seu coitado!
Tudo é retirado do currículo
Volta às trevas da Idade Média



Etnias indígenas das Américas?
História latino americana?
Resistência de povos colonizados?
Oprimidos pelo imperialismo?
Reinos africanos da Idade do Ferro?
Zumbi dos Palmares, Che Guevara?
Ponto de vista de quem sofreu?
Isto nunca aconteceu...

Esta ponte pro futuro
Não é só para a desgraça
É também para a mordaça
Prum futuro enganador
Sem Paulo Freire, sem luta,
Sem diálogo, um horror!
Mas ninguém conseguirá
Nossa voz enfim calar!



Rola no Senado a votação
Democracia de fachada
Travestida de vontade popular
Escola com Mordaça é intenção
Mínima é a margem de decisão
Mesma resposta de sempre
Nossa sociedade dividida
Entre o novo e o retrocesso

Ideologia fascista ou liberdade
Pensar e refletir vence por pouco
Coxinhas continuam do lado errado
Como sempre estiveram
Apesar de todos os pesares
Querem pagar pra ver
O que jamais deveriam conhecer
Já que até hoje ficaram sem saber

São duas meninas estupradas
Uma ainda está viva,
Pelos trinta monstros humilhada
Colocaram suas fotos
Nua, desacordada, violentada
Pra todo mundo ver no twitter
Vivemos a cultura do estupro
Que tanto Dilma abominou!



Outra menina perseguida
Ocupação de uma escola
Morta, Corpo carbonizado
Dizem que foi a milícia
Terceirizada pela polícia
Além das duas, ainda existem
Outras que estão marcadas
Pela polícia militar ameaçadas

E o Ministério da Cultura,
Das Mulheres, da Diversidade
Dos Direitos Humanos foi extinto
Junto à pasta da Justiça
Aglutinada e pelo militar
Alexandre de Morais
Desgovernada... E agora sem rima
Pra nós, mulheres, só resta Poesia!



É na Marcha das Flores
Que o diferencial acontece
Mulheres ocupam o Supremo
Derrubam cercas do STF
É lá que a justiça amortece
Lutam contra estupro da liberdade
Em defesa da democracia
Construção de novas verdades! 


E neste governo ilegítimo
Sem mulher na representação
O Mendonça até recebe
Estuprador pra mexer na Educação!!!
E tem Ministro da Justiça
Que criminaliza e reprime opinião
Treme Temer e Gilmar Mendes????
Réu e juiz no encontro do sabadão!!!


Secretária das Mulheres
É contra o aborto, mesmo
Em caso de estupro coletivo
Ela própria nasceu de um
Aprove a dor alheia
De tanto fazeres isto
A dor vai bater na tua porta
Sei que o mundo dá voltas


Há uma ventania no Brasil
A se transformar em furacão
Imprensa já não consegue
Deixar invisível a situação
"Juno", deusa Protetora da Nação
E das Mulheres  em ação
Nos impulsiona para a luta
Neste instante de humilhação!



Não importa quanto saia subiu
O corpo se desnudou
A verdade é a mesma
Nenhuma mulher se libertou
Nem do poder do machismo
Nem do poder que o homem
Quer ter sobre o corpo nu
Que só à mulher deve pertencer!


O que é que uma mulher deve fazer
Quando o padrão quer reverter
Sua condição de luta
À bela, recatada e do "dólar"?
Qual a resposta que se dá
A quem insiste em defender
Um estupro coletivo por 33?
 E padrão "Maria Antonieta Temer"?


Esta pobrezinha de alma podre
Bela e de mente vazia
Recatada com hipocrisia
Está na contramão da Construção
Do Papel da Mulher na sociedade
Vai acabar mal, com certeza!
Não se dirige na via errada da História
Sem atropelar empoderamentos recentes


Diz Jandira arretada: Não
Há coalizão sem contradição
A esquerda no governo
Acaba por se dividir
Parte fica endireitada
Outra se mantém fiel à raiz
Presidencialismo de coalizão
Mera ilusão, não dá certo, não!



Nas manifestações de 2016
Há um grande diferencial
É a criatividade das mulheres
A intelectualidade e talento
Dos artistas e coletivos
Chico Buarque joga rosas
Carmina Burana vira “Fora Temer”
Fantástica performance de músicos


Roda de samba no Rio
Com mortadela e caipirinha
Paródias nas ruas
Serenatas ao luar
Quadro vivo de Delacroix
Sobre muros da cidade
Cirandas e festas de arraiá
Convidando as meninas pra dançar!


Não vai ter golpe de novo
Reage meu povo
Canta Beth Carvalho
Muita poesia em Saraus
E não faltou Ole, olê, olê, olá de Lula lá
Nem Mãe de Santo
Muito menos Iemanjá
E muita reza pra Dilma voltar!


Dois milhões na Vigésima Parada
Gritam AMAR SEM TEMER
Em apoio à causa “trans”
Democracia que querem viver
Quando ela vai pro ralo
Você joga pelo cano
O direito de qualquer cidadão
De ser negro, gay ou "trans"


E as paródias no congresso
Não param  de acontecer
No MBL os caras faturavam
Pra nos acusar de receber
Tipo Collor que só fez
O que dizia que Lula iria fazer
Confiscar nossa poupança
A seu bel prazer acontecer!


Vassoura e cândida nele
Lavagem da fachada no CGU
Golpista não passa impune
Ministro da transparência
Na surdina, no escondido
Fabiano Silveira, amigos
Pelo áudio advertidos
Da Lava Jato se defender!


Carmem Lúcia se derrete
Contra estupro coletivo
E daí ela se esquece
Estupra a democracia também
E o Ministro da Transparência
Pede sua demissão
Da passarela da vassoura
Flagrado em áudio de traição!

Governo congela salários
Mas quem mais vai se ferrar
São comerciantes a lastimar
"Compras", com certeza, vão cair
Povo sem dinheiro não gera dinheiro!!!
Gera miséria em todos os sentidos
Esperar pra ver quem está a festejar
Sua opinião não demora a derreter...



Em segundos povo humilde
Redescobre modos de sobreviver
Panelaços em brilho ofuscante de novo
Pedindo comida pra quem mais tem
Quem não quer perder Privilégios
Ostenta seus Direitos que já tem
E quem está perdendo Direitos
Não se curva sem vintém!

Vejam só que paradoxo
Que injustiça sem igual
Impeachment por pedaladas
Ilegítimo em quinze dias já fez?
Em lugar de empurrar
um gasto pro futuro...
Do futuro pro presente
Antecipa agora a lei!

Cerveró diz e desdiz
Dilma é citada mais uma vez
Em delação premiada
 “Supõe” que a legítima sabia
Que políticos do PT recebiam propina
E o declarante “nunca tratou”
Diretamente com ela
Nem com ninguém do PT

Senador Anastasia do PSDB
Nega-se a permitir os áudios?
Machado, Jucá, Renan, Sarney?
Provas da inocência de Dilma
Que Cardoso quer defender
Comissão do Impeachment
Dá outro golpe dentro do golpe
E dizem que não é golpe?


“Cartão de Suprimento” foi cortado
Viagens foram interrompidas
Jatinho do Palácio é pra encardida
Recatada e do “dólar” oferecida
Sonho deles é “matá-la”
Mas Dilma está forte no combate
Vence na História e nas ruas
Como já venceu nas urnas...

"Prisão domiciliar branca”?
Só pode ir de casa a casa?
Deveríamos inundar o STF
Com milhares de hábeas corpus
Dilma cai, ministros e Temer também
Novas eleições: PSDB ganha tudo?
Tinha uma pedra no meio do caminho
Ops...  Era uma estrela vermelha!




No palanque gaúcho,
Dilma vem nos fortalecer:
"Eu não vou deixar de combater
Cada uma das falsidades
Das mentiras que usarem contra mim
Eu não vou me calar,
Tenho certeza de que vão tentar
De qualquer jeito me incriminar”

Todo mundo grita Temer
Fora Cunha? E fora Serra?
Este cara é o piorrrrrrr
Quer vender nosso pré sal
Nas camadas mais profundas
Petróleo e gás pra valer!
Ali está o Brasil que queremos
E que os EUA quer  comer!


Pra coxinha servir à causa
O banquete era filé mignon
Acampados são despejados
Começam a pagar o pato
Jogados ao Deus dará
Pelo pato que os pariu
Junte-se aos podres e verá teu fim
Pobres jamais te abandonam assim

Romário  pro lado da Dilma
Se assim fizer perde o filão
De milhões que irá ganhar
A faca aponta a direção
Se ficar do lado podre
Há de se perder dos pobres
E te aviso:  Perdes Furnas
E também perdes nas urnas!

Pais de jovens com smartphone
Faculdade pelo FIES/PROUNI
Falando mal do PT?
Após áudios vazados
Insistem ser marionetes
Sofistas e truculentos
Pinóquios e medíocres
Defensores de má fé?


Continuam bradando
Com boca cheio de merda
O mesmo viés Fora Dilma
Sobe o dólar, cai a bolsa
Títulos não rendem mais
Quem são os cegos algozes
Apoiadores medíocres
Quem defende retrocesso?

Indicadores positivos
São efeito Temer
Indicadores negativos
É herança da Dilma
São tantos os malefícios
As tramoias e falácias
Que hora chego a duvidar
Que eu sou eu, como de fato sou!



Michelzinho tem sete anos
E dois milhões em imóveis
Meritocracia o fez merecer?
Minha Casa, Minha Vida
11.250 moradias vão pro brejo
e quem adquiriu um teto,
Aumento de trezentos por cento
Minha casa, minha dívida?

"Governo Temer não pode ceder
Observar agendas de atos de ruas
Reprimir os criminosos,
MST, MTST, CUT e UNE
Submetê-los à lei
Acusa “grupos de pressão”
De manter política petista
É preciso enfrentá-los”

Diz Caiado, câncer latifundiário,
Conhecido por ser fundador
E presidente da UDR
Milícia responsável pela morte
De centenas de trabalhadores rurais
Sem-terra e ativistas do campo
Inclusive Chico Mendes!
É Ditadura,  ou não é?



Todo dia é dia de índio morrer
E uma selva de soja nascer
“Pum” de vaca e mundo feder
Descaso é metralhadora às avessas
Pé de página é última vala
Onde os jornais brasileiros
Enterram Guaranis guerreiros
Assassinados por fazendeiros

Ruralistas donos do Congresso
Dizem que o Código Florestal
Ameaça à “classe produtora”
Matam dois sem terra
Indígena Quilombola Sindicalista
Ou pequeno pescador por semana
E o MST é que é violento?
Sindicatos é que são radicais?

Cenário repetitivo em acampamento
Assentamento de trabalhador rural
Madeireiros invadem territórios
Terras demarcadas no Maranhão
Em Arame não cessam de intimidar
Em 2012, corpo de índio queimar
Em 2016, notícia ressuscitar
Pra justiça ser vista e julgar?



Onde há povos indígenas lutando
Pela demarcação de suas áreas
Comunidades quilombolas
Reivindicando posse do seu território
Resistindo ao assédio de latifundiários
Que não aceitam decisões do judiciário
E Temer convoca um Militar
Pra tomar conta da FUNAI?



Voracidade do governo interino
Destrói a política pública
Questões de natureza ambiental
Indígena, urbanística, hídrica
Proteção do patrimônio cultural
Visão política do Treme Temer?
É só ler a MP 727 e sua essência
Terceirização e flexibilização!

Que importa lama de Mariana
Peixes mortos, Rio Doce extinto
Além do ataque ao Pré-Sal
Atualizam Código de Mineração
Pra favorecer multinacionais
Nossas terras pra estrangeiros
Matérias-primas pro mundo
Entrega do futuro como nação?



É o fim do “capeta”/lismo
Ou a volta ao Brasil Colonial?
Em face da sua grande extensão
dos recursos naturais
e de sua população?
Mão de obra barata
Pra americano nação?
Deixarmos assim sem mais questão?



Lama de Mariana escorrendo
Rio Doce adentro ao mar salgado
Levando tudo quanto é vida
Aécio e Serra, Moro a defender
Com delações já consumadas
Seguem planos de privatização
A despeito do que possa acontecer
Com o futuro ambiental da nação

Redução do papel do Estado
Fatiamento da Caixa Econômica
Da gaveta empoeirados tiram
Projetos que nunca deixaram de lado
Acabam com essência do Banco
De executor de políticas públicas
E fica aqui a pergunta: o que sobra
Quando se começa a retalhar?



Ministro caindo e preço subindo
Do jeito que vão as coisas
A gente tem que escolher
Ou se toma cerveja ou se come feijão
Eu já tomei minha decisão
Estou vendendo panelas
Indo morar em tendas
Na Avenida São João!

E o CUNHA???? Que vexame!
Com o Collor se escondeu
E todos sabem como é que PC Farias morreu
Ele é pior que Beira Mar
É quem manda e desmanda
Quem acusa até a Suíça de mentir em seu louvor
De doar pra sua esposa
Ou de seu cartão ser servidor!

Japonês que agora é preso
É mais uma palhaçada
Pra fingir "endireitar"
A Justiça que não gruda
Pois que Cunha prende não
Cadê a titia Eron?
Que fugiu do Planalto
Pra se furtar da obrigação?

Estou no meio desta história
Que um fim aqui não tem
Pois Cunha fora da Câmara está
Por dentro do governo a mandar
Bastava tirar esta peça do efeito dominó
E todo congresso caiiiiinnnnnnnndo
Dançando funk e lambendo sabão
Junto com ele atrás das grades na prisão!



Quem agora sente a faca
É quem mais apunhalou
Cunha fica sozinho
Na coletiva que chamou
Bradou aos quatro ventos
Que o Bonner o cerceou
E GloboNews o bloqueou
Até a própria sombra o abandonou!



Punição a Cunha é hilariante
Nem Maluf solto é tão degradante
Até Russomano livre após
Peculato julgado é irrelevante
Marido de Gleisi é importante
Pra calar a voz de quem defende
Dilma com unhas e dentes
E acordar paneleiros decadentes

A falsa renúncia do afastado
É só pra salvar o seu mandato
Aumentar suas chances de defesa
Contra as denúncias da Lava Jato
Na jurisprudência do Supremo
Um empate sempre favorece o réu
São quatro ministros a votar
Na ausência de um, dois votos é fácil pagar!

Cara de pau encerada com cebola
Ganha Cunha “Oscar” de melhor ator
Manobra pra tirar Maranhão
Que acatou aquele pedido
Impedimento contra usurpador
Cunha renuncia, vice cai
E o Impeachment também
Tudo é engavetado outra vez!

O que se esconde por trás
Do complexo momento que vivemos
Envolto por uma capa de cinismo?
Psicopatas sem limites éticos nem morais
Com convicções distorcidas
Agem em conveniência própria
Dando legitimidade inconfessável
À ações políticas acima da lei!


Fizeram um pacto contra o povo
E um monte de gente aderiu
A má fé já se provou o que ódio consagrou
Até o MP diz que Dilma não é ré
Golpe continua e Impeachment também
No Congresso o troca troca de Poder
Que nunca troca, é do Cunha e de ninguém
Palhaçada Fora Cunha é Volta Alguém
Pra ocupar o seu lugar que a todos convém

Impeachment pra Janot
Diz Renan contrariado
Após prisão decretada
Por Supremo em seu favor
Encontro a meia luz
Disfarçou a podridão
Nenhum dos dois vai sofrer
Por querelas do Poder

Da Torre de Curitiba age Moro
Doente pra provar o que não acha
Vomita operação desvio de foco
Será ele quem governa o Brasil?
Com AI5 na mão sem ninguém saber?
Ou o regime é mesmo de exceção
Supremo obedece “decorativo”
Igual interino que já não é vice?


Encontro de Moro e Moraes
E a Operação Muda Foco
Com transmissão pela Globo
Prisão preventiva de petistas
Novo espetáculo midiático
Salva Temer e seus golpistas
E áudios, vídeos e provas
São mais leves do que água!

Por ataques de sincericídio
Dos principais articuladores
Mesmo o menos crítico sabe
Que o golpe é de fato  golpe
Rose de Freitas abre coração
Não teve isto de pedaladas
O que teve foi país paralisado
Sem direção e administração

Zé Perrella admitiu razões
Não se sustentam em pedaladas
Jucá diz claramente que é preciso
“Mudança” no governo federal
Pra “estancar a sangria”
Da Operação Lava Jato
E agora é Comissão do Senado
Quem salva Dilma de difamação!



Até quando cegos brasileiros
Fecharão olhos diante d’absurdos
Contra direitos conquistados
Governo interino bombardeia
Implosão de inversão de valores
Dont cry for me Brasil
É a canção a ser cantada
Agora que golpe é publicado!

Temer é um fenômeno
de impopularidade
66% de desaprovação
Número devastador
Trágico ao se supor
Maciço apoio que mídia dá
Como melhorar se Temer
Não tem como se fazer amar?

É uma desgraça nacional
Sem carisma, sem legitimidade
sem votos, cercado de corruptos,
Está comprando senadores
Com cargos e vantagens
Aumento ao Bolsa Família
Será suficiente pra mudar
O indesejado que já é?



STF agora é “decorativo”
Tal qual Temer que vice já não é
Quem manda vê é Moro
Cunha, PSDB e Gilmar
Em ritmo de Festa Junina
Um a um caem Ministros do esquadrão
Cai cai balão! Cai cai pião aqui na minha mão
Não cai não, não cai não! Quero vê-los na prisão!

"Pedaladas fiscais" são arquivadas
Inexistência de crime ESTÁ PROVADA
Notícia é solenemente ignorada
Mídia que apoiou golpe militar de 64
Agora ratifica o de 2016
E a sociedade mal informada
Fica a Deus dará da alienação
Mal sabem eles ao que vem a traição!

Decisão do MP fortalece defesa
Senado se vê diante de saia justa
Como condenar a presidente Dilma
Por "crime de responsabilidade"
Se o próprio MPF, titular da ação penal,
Garante que não houve crime?
E como votar contra o Impeachment
Se já estão atolados na lama?



Num mundo menos imperfeito
Dilma seria devolvida ao poder
A despeito de pesquisas
Ou quaisquer outras mazelas
A acusação contra ela
É uma farsa hipocrisia
Ela nunca pedalou
Exceto na bicicleta que adotou!

Em segundos povo humilde
Redescobre como sobreviver
Panelaços em brilho ofuscante
Pedindo comida pra quem mais tem
Quem não quer perder Privilégios
Ostenta Direitos que já tem
E quem está perdendo
Não se curva sem vintém!

Imprecisão ou farsa proposital
Na divulgação do Data folha
Órgão que não é farmácia
Mas especialista em manipulação
Os 60 bilhões herdados de Dilma
Viram 170 bilhões pedaladas fiscais
E a mudança que o congresso fez
É borracha que se passa no governo atual!

Economia em crise é psicológica
No SUS doenças são imaginárias
Colapso culpa roubos de usuários
Nas escolas será proibido pensar
Cem dividido por cem não será um
Mas 99 pela meritocracia de um
Mais golpe sobre golpe dentro do golpe
E assim os golpistas ganham a pista


Se você chamar o Temer de golpista
Que de fato deste nome é titular
Ele pode não gostar
E a tropa de choque
Vir pra cima te agarrar
É melhor desenhar ou começar a vaiar
Porque no porão da história
Escondidinho  feito rato agora está

Aecinho, coitadinho
Por vovô tão mimadinho!
Pela mídia, Moro e Mendes
Acaba por perder de novo
Dilma cai, mas voltará
Pelo voto popular que a reelegeu
Temer usurpa o poder que já perdeu
E nada sobra pra quem tanto se ofendeu!

E o governo ilegítimo
Segue fazendo falácias
Após sangrar seus direitos
"Legitimar privilégios"
Derruba os vetos de Dilma
Meta fiscal foi mudada
E é você trabalhador
O pato que paga o pato

PT  -   PCdoB   -  PSOL
São os únicos opositores
Deste governo ilegítimo...
E agora seu OTÁRIO!
Como é que você se sente
Se quem você agrediu
É justamente aquele
Quem te defende no fim?

Sentença de morte decretada
Ganhou a corrupção deslavada
Dos políticos "íntegros"
A valores sem moral!
Não me sinto fracassada
Nem tampouco rebaixada
Pior são eles com suas vitórias
Forjadas pela grana comprada


Desespero da bruxa do mal
Diante da maçã envenenada
Berrando aos quatro cantos da nação
Implora aos cegos de vaidade
Pra não entrarem com ações
Contra o fatiamento da votação
Que pode sugerir anulação
Prova da política motivação




No jogo da corrida eleitoral
Varrem bruxas no covil
Lula vira líder orquestrador
Corrupto sem igual e maioral
Cadê provas além da convicção?
Pra mim é o meu líder de primeira
Melhor Power Point do ano
Astro rei já inscrito nas estrelas...

Dilma vence nas ruas
Como já venceu nas urnas
Seu cordel aqui se finda
mas sua História transcorre
Vá pra praia, vá pro sítio de Atibaia
Deitar consciência tranquila
Num travesseiro de paz
Eu, por mim, me mantenho fiel!

Erundinas  Dilmas  Fernandas
Não esperem de nós
Silêncio dos covardes
Guerra política ao golpe
Que o nosso luto
Se transforme em luta!
As ruas estarão cheias
E eu estarei por lá


E eu que pensei que o cordel terminara
Que nada! Segue a vida desta forma
Querendo  (des) ver o óbvio a ver
(des) medida provisória pra educação
Professores sem emprego
Alunos com conceitos em jejum
Grade curricular ameaçada
Pior do que a escola amordaçada
Plano de Alckmin em ação pra toda nação!

Moro com AI5 na mão direita torta
E com tucanos à esquerda do coração
Síndrome de Deus a salvar a nação
Cínico do Aécio de olho arregalado
Metendo pitaco na prisão,
Aplaudindo tamanha aberração
Ministro Guido Mantega, em hospital
Com esposa fazendo operação!
UM ANO DEPOIS

Foi servil ao pato
Serviu ao pacto
Defendeu o corrupto
Difamou o inocente
Foi surdo aos áudios
De Jucá e de Machado
Concretizou o fato
Já sentiu a dor do parto?


PSDB segue bailando uivos
Rede Globo fazendo ruídos
Contra o PT aliançando inimigos
Povo unido jamais será vencido
Dividem a todos inertes e sem lei
Apostam memórias esquecidas
Povo fodido jamais será unido




Esta louca arrependida
Deve estar mais tresloucada
Ao descobrir que perdeu
Reputação, honra, credibilidade
Só por quarenta e cinco mil
Enquanto seus patrões ganham trilhões
E ficam fora das grades das prisões
HOJE INICIEI A VENDA DOS PRIMEIROS LIVRINHOS CASEIROS:
 "CORDEL PARA UM GOLPE"


MUITO FRIO, MAS BASTANTE TRABALHO NA FEIRA DE ARTESANATO... E VAMO QUE VAMO... QUE É PRECISO BORDAR UM MUNDO COLORIDO MELHOR E DESATAR MUITOS NÓS...




CORDEL PARA UMA LATA DE SARDINHA
Desde criança me lembro
Desta expressão engraçada
Nunca entre em lugar apertado
À sua mente já vem bem lembrado
Que lugar de sardinha engasgada
É somente na lata esmagada.

Se quiser viver a experiência
Pegue um trem às seis da tarde
Tente descer na estação de Pirituba
Se pra Franco da Rocha o tal quer ir
O teu corpo vai sair jogado pela porta
Sua camisa sai rasgada! Ai, coitada!

Ou então pegue metrô,
Lá pelos ares do Braz
Faça baldeação na Sé,
Fique em pé, 
Nem tente se mexer
Que não dá pé!

Se quiser sair do trem
Saia no meio do povo
Que a multidão te carregue
Feito procissão de finados
Pior que sardinha em lata
Com certeza até fede!

Fique bem calmo
Não se altere
Não se atreva a xingar
Nem por um minuto reclamar
Porque corres o risco de
Sardinha em lata virar!

Agarre-se em sua mochila
No peito bem apertada
Feito amor pouco fiel
Há olhos de Capitu
Abrindo brechas na ponte 
Do desejo a sucumbir.

O meu imposto é cobrado
Linhas de metrô são criadas
Mas eis que moro na Oeste
E nada chega por aqui
Meu destino é o ônibus
Que só sardinhas são pra mim.

De tanto pensar na sardinha
Eis que vontade me deu
De um bom patê fazer meu
E percebo que a Coqueiro
Tem só duas pequeninas
Dançando funk na latinha...

Liz Rabello


CORDEL PARA ANNA DE ASSIS


FATÍDICO IDÍLIO



FATÍDICO IDÍLIO

Duas mulheres, uma só
Anna Ribeiro, Anna de Assis
Esposa de Euclides da Cunha,
Amante de Dilermando de Assis.
Foi no Rio de Janeiro
Onde tudo começou.

Anna Emilia Ribeiro
Filha do Major Solon
Tinha a casa frequentada
Pelo engenheiro escritor
Com quem Anna se encantou!

Ele expulso das fileiras militares
Antes da proclamação da república sozinho a proclamou!
Um plano de manifestação contra o Ministro da Guerra
E na hora apenas ele lançou sua espada
Cumpriu a ação combinada e Anna o admirou!


Ainda menina Anna Ribeiro se casou
Matrimônio adolescente
Um relacionamento diferente
Com um homem bem mais velho
Euclides da Cunha, rico escritor!

Euclides era tímido
E também temperamental
Não era extrovertido
Com Anna não se exibia
Nem pareciam casal!

Vivia de viagens intercaladas
De Canudos à Amazônia
Muito tumultuadas
Longas e prolongadas
Páginas famosas em obras aprimoradas!

Faz o serviço, cuida da casa
Às vezes sai pra caminhada
Com a guerra de Canudos chorava
Pois era lá que o marido estava
E pelo trabalho a abandonava!


Solon, Quindinho, seus filhos
Estudavam na Escola Militar
A ele a apresentaram
De Dilermando a fez se aproximar
E com ele se encantar!

Euclides viajou de mala e cunha
Pra demarcar território, um bom tempo longe
Pra Amazônia foi embora, um ano fora!
Amante dezessete, ela trinta,
A diferença de idade só aproximaria!

Dilermando falava francês
Escrevia cartas com carinho
“Minha nunca esquecida queridinha
Aninha idolatrada esposinha”
Entre lençóis de sangue, dois corações se perdiam!

Apaixonada por outro homem
Coração dividido intensamente
Infidelidade abrangente
Ainda casada motivos tinha
Pelos Sertões Euclides sumia!

Cobrindo Canudos em guerra
Ou Amazônia explorando
Em casa é que não estava
Sempre pensando na amada
Mas pra ela não voltava!

Mas na viagem pra Amazônia
Sua bela ficou na pensão
Cafezinhos pra sua nova paixão
Tantas mulheres lindas que havia
Mas só Anna, Dilermando queria!

Depois de um ano sem notícias
Repentinamente Euclides voltou
Na fantasia maquiada
Esperando Anna mais apaixonada
Barriga grande, traição criada.

Amante foi para a escola militar
Restaram só saudades
Mas e agora? Grávida ela já está!
Lindo bebê do amante nasceu
Fruto de um amor proibido!

Sete dias apenas viveu
De fome sem querer morreu
Marido por orgulho o registrou
Mas alimentá-lo não deixou
A maldade o cegou e o bebê matou!

Segredo foi descoberto
Traição novamente aconteceu
Outro filho ao mundo vingou
Uma espiga de milho no cafezal
Irritava o marido afinal!

Marido tuberculoso voltou
A doença se espalhou
Marido chifrado
Como é que se sentia
Aquele pobre coitado?


O amante com irmão foi morar
E as coisas desabaram a piorar
Sua esposa o abandonou
Tudo por causa do tal amor
E dela foi atrás pra raiva despencar!

Batendo palma no portão
Ela e os filhos menores na despensa
Amante escondido no quarto
Euclides possesso sacou
Pelas costas atirou!

Era o pobre Dinorah
Jogador de futebol
Uma grande confusão
Carreira terminada em vão
Hemiplégico o irmão!

Marido desvenda fatos
Matar ou morrer dizia
Marido traído nervoso
Procura casal traidor
Mas o amante ferido o derrubou!

Na sala Anna e os filhos
Ainda ouvem pedido do pai
Ao filho mais velho:
 “Honra teu pai! Que eu te perdoarei
Por ter fugido com sua mãe traição esquecerei”!

Ferido grave Euclides ficou
E quando médico chegou
Ele não mais aguentou
Os olhos pra sempre fechou
Dilermando com a culpa ficou!


Mas quem era Dinorah
Com quem Anna foi morar?
No futebol, grande jogador
Muito conhecido no Rio
Onde no Botafogo jogou
E fez fama no Brasil!

Dinorah teve a vida perdida
Quatro tiros pelas costas
Autor dos disparos foi ele
Grande nome da Literatura
Euclides da Cunha “Sertões”


Dinorah talento do futebol
Afirmavam com razão
Ser ele fantástico campeão
Era camisa quatro do time
Jogava no Brasileirão!

Que episódio triste
Dinorah forte resiste
Leva quatro tiros nas costas
Mas com balas alojadas
Fez várias e boas jogadas!

Paixão tão grande ao futebol
Jogava com alma e coração
Após sete dias entrou em campo
E ao Botafogo vitorioso
Fez ser o novo campeão!

Em 1910 no campeonato seu time
Campeão carioca se tornou
Jogador da Seleção
Grande honra pra nação
Seu nome na história consagrou!

Teve a saúde minada
Pelas balas alojadas
Interrompeu sua paixão
Acabou com a carreira
Aleijado, resto da vida inteira!

Já não podia mais
Seguir carreira na Marinha
Jogar futebol, jamais!
Mendigando na nova vidinha
Que sete anos depois acabou!

E um tão famoso jogador
Bebedeiras, doenças, hemiplégico,
Sem futebol, não resistiu
No cais do porto se afogou
Da própria vida desistiu!


Dilermando com a amada se casou
E como homem agiu afinal
Assumiu filhos dele e dela
E já quites com a justiça
Sentença ganha em própria defesa atirou!

Mas pela honra do pai, o dia se torna hoje
Euclides ao filho Solon pediu
“Vá Dilermando matar”
E o rapaz se decidiu
Ao cartório foi pra se vingar!

Dilermando foi julgado,
felizmente absolvido
Saiu em liberdade e matou sua saudade!
Só que antes no Cartório, assinando documentos
De repente filho surge e dá tiros violentos!

Veio atrás de Dilermando
Mas é este quem o mata
Com um tiro outra vez
Uma história de amor se acaba
Em tragédia se desfaz!

Queria matar Dilermando
Na presença da Justiça
Mas para sua surpresa
O rival revidou e como bom atirador
Filho de Euclides matou!

Anna vê seu filho morto
O tempo passa e não esquece
Tanta dor que já sentiu
Mas seu amor está vivo
E com ele vai ficar!


Fatalidade idílica,
Anna escolhe seu amor
De sua família destruidor
Matando um de cada vez
O marido e o amigo que o anunciou!

Dilermando matou o mais velho
Legítima defesa a esposa perdoou
Mas ele na bola pisou com outra ficou
Anna dele se separou
Terminando esta história de amor
Sem o tão sonhado final feliz!

LIRA PAULISTANA– Liz Rabello e alunos do FONTENELLE:



Erica Violin e Bruna Sanches (8D/2009); Dayana Alves, Renata e Karen Eblack (8D/2009); Vanessa Gomes, Amanda Leme e Heliomar Oliveira (8B/2009); Stephanie Souza, Amanda de Alencar e Bárbara (8D/2009); Bárbara Miranda e Erick Luiz (7A/2009); Camila Gomes, Sarah e Rafael Brasi (8D/2009); Matheus Gamboa e Jackson dos Reis (8B/2009); Rafael de Moraes (8D/2009); Tamara Noely da Silva (8B/2009); Cristiano Bispo, Rafael de Moraes Lima e Eduardo (8B/2009); Marina e Jady (8B/2009)


A Globo na década de noventa lançou a minisérie "DESEJO", com Vera Fischer no papel sedutor de Anna de Assis. 



Glória Perez, fez uma extensa pesquisa sobre o crime e todos os seus antecedentes, para exibir na TV uma das mais belas séries já apresentadas. A beleza e a segurança do trio de atores centrais, uma criteriosa produção de época e aproximadamente cem intérpretes em cena, proporcionaram um grande momento da televisão brasileira. 


Para reconstruir os fatos verídicos, Glória Perez recompôs todos os passos de Euclides da Cunha na semana anterior a sua morte e fez um estudo sobre os artigos veiculados pela imprensa nos primeiros 15 dias depois da tragédia, para verificar que opinião pública se formara sobre o fato. Além disso, a autora teve acesso à correspondência entre Dilermando e Ana. No livro “Autores”, que faz parte do Projeto Memória Globo, a autora confirma a sua pesquisa: “A história era uma tragédia – não no sentido das tantas, mortes que provocou, mas da definição literária de tragédia mesmo, quando as pessoas se vêem diante de um impasse em que todas as saídas descambam no trágico... A pesquisa durou sete, oito meses, e se baseou nos processos relativos às mortes de Euclides da Cunha e Euclides Filho, no inventário de Euclides e nas cartas trocadas entre os personagens da história. Procurei as duas famílias, e conheci Luís, o filho de Saninha com o Dilermando, nascido durante o casamento dela – aquele de quem Euclides disse: ’Nasceu uma espiga de milho no meu cafezal’...

Judith Ribeiro de Assis, filha do casal Anna de Assis e Dilermando de Assis escreveu o livro "HISTÓRIA DE UM TRÁGICO AMOR", narrando os fatos verídicos sobre seus pais e o grande amor que os uniu.

7 comentários:

  1. Já deixei meus parabéns a quem organizou esses dados todos!

    ResponderExcluir
  2. Incrivel... isso é um documentário.... amor está completo... estou emocionado com seu trabalho.... bjs

    ResponderExcluir
  3. Obrigada amigos... Como é bom ter quem nos leia e nos anime a continuar.

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Amei.Acabei de rever a minisérie. O cordel ficou 10. Parabéns.

    ResponderExcluir
  5. Obrigada por sua leitura... Não há nada mais gratificante do que alguém ler o que fazemos.

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito vou acompanhar mais atentamente

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada por sua leitura e palavras de incentivo. Será sempre um prazer receber sua visita. Abraços.

      Excluir

Aqui você pode comentar...