MEUS LIVROS


XIMBINHA DE PERNAS PRO AR QUE A PELADA VAI COMEÇAR


MEU SÉTIMO LIVRO SOLO


LIZ POR LIZ

Sou escritora por acaso. Nunca me imaginei com caneta ou teclado à mão. Tudo o que sei da vida é o que o amor me ensina. Minha convivência com as palavras vem do trabalho profissional: Ler e inventar histórias para os meus alunos. Agora, já aposentada, repetir a dose para meus netos e com eles brincar. Ximbinha nasceu desta segunda percepção. História fictícia criada à luz da personalidade dos meus netos, personagens reais, que me fascinam os dias e minha caminhada pela vida.



Tem como foco central resgatar a alma da criança brasileira. Se não tem bola, cria-se uma com uma meia. Se não tem gol, até o fogão da cozinha serve, desde que o forno não esteja ligado e que a mamãe tenha dado permissão (o que acredito jamais acontecerá!) E assim, de brincadeira em brincadeira, a criança pode esquecer o celular e começar a criar.

Ilustrações de Punk Além da Lenda



PRÉ LANÇAMENTO EM ASTORGA / PARANÁ NO PRIMEIRO SARAU DE QUINTAL




ESTAMOS NA FLIM - MARINGÁ - PARANÁ - OUTUBRO DE 2017



EU FAÇO PARTE DESTA ANTOLOGIA...  
UMA HONRA ESTAR AO LADO DE FAMOSOS DA VILA MARIA, 
DE SÃO MIGUEL, BAR DO JULINHO E OUTRAS PARAGENS...

VARETA CONQUISTANDO FÃS NA FEIRA DO JARDIM SUZANO





ANTOLOGIA POÉTICA II
II PRÊMIO CANTINHO GIRASSOL




 ARIANE FREIRE FOI MINHA ALUNA NO ENSINO FUNDAMENTAL NO FONTENELLE
GRANDE HONRA POR ESTAR AO SEU LADO NUMA ANTOLOGIA ONDE BRILHA COM SEU TALENTO








MUITO OBRIGADA POR FAZER PARTE DESTA HISTÓRIA... GRATIDÃO ETERNA À MARIA ANTONIA COSTA, À REGINA MATAVELLI E TODA EQUIPE DE ALUNOS MARAVILHOSOS DO JULIO PRESTES ESTADÃO EM SOROCABA


FOTOS EXPOSTAS NA DELEGACIA DE ENSINO DE SOROCABA...   TRABALHO REALIZADO PELAS SALAS DE LEITURA DAS ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS DE SOROCABA


A Professora Maria Antonia Costa, na sua delicada atitude perante a arte e os animais, montou esse painel homenageando o dia do evento com a cadelinha Vareta, personagem do livro Amor à Primeira Lambida e O Resgate, de autoria da Liz Rabello, pela Editora Essencial. Neste dia uma ONG em defesa dos animais participou, tanto como alunos do estadão em Sorocaba, e se tornou um símbolo de resistência dos cuidados aos animais e adoção. Foi emocionante. (Carloz Torres)



III FEIRA DE EMPREENDEDORES DE VILA MANGALOT










NOITE INESQUECÍVEL: BATE PAPO COM LIZ RABELLO E GUSTAVO GOMES NA UNISAL, CAMPUS TEREZINHA

Uma noite inesquecível com cerca de oitenta estudantes na Biblioteca da UNISAL de Santa Terezinha, se acotovelando para conhecer os escritores essenciais, da novíssima geração em São Paulo. Gustavo abriu o verbo com suas ideias e pensamentos e Liz Rabello revelou experiências como professora e escritora, e mulher, feliz pelo novo caminho na literatura infantil. Algumas fotos do rico debate, sob a batuta excelente da professora e mediadora Cida Sarraf (Agradecemos querida pelo convite)...




As alunas da UNISAL me lembraram de quem eu fui... 
  Voltar no tempo foi maravilhoso demais... 








Um abraço demorado e delicioso... Adorei conhecer Jamily



 Para adquirir os livros Meu Universo do Gustavo Gomes e A Menina que Mastigava Letrinhas, O Resgate, Lua no Chão e outros livros de Liz Rabello acesse

MINHA NETINHA JUJU E NOSSAS HISTÓRIAS INFANTIS... DELÍCIA DE HORA!

CANTAMOS, DANÇAMOS E AS HISTÓRIAS FORAM NARRADAS COM IMAGENS E PALAVRAS...


 BOVÓ, LEIA PRA MIM A SOPINHA!


 JUJU ADORA OLHAR MINHA FOTO NA MENINA QUE MASTIGAVA LETRINHAS... 



MELHORES MOMENTOS DE UM SARAU AGRADÁVEL E MUITO POLITIZADO "INEVITÁVEL AMOR DE MARCOS FONSECA" - 21/10/2016




OLHEM A CARINHA DA JUJU QUANDO APRESENTO LIVRO DA VARETA...  E COMO MELHORA QUANDO FALO DO LIVRO DELA...   EITA CIUMEIRA!



 NOSSA BONECA JUJU ENCANTANDO BEBÊS E ADULTOS CRIANÇAS





Estando tão longe, sinto-me honrada em receber uma caixinha que contém amor puro dentro.  Minha Flor de Liz, você me escreveu que "já não cabia mais dizer feliz aniversário e que já é Primavera..." Sim, é primavera, também já é quase dia das crianças e você alegrou meu coração, me fez voltar no tempo e ser criança novamente naqueles dias em que era uma negação para comer qualquer coisa e Mamãe fazia macarronada com as letrinhas- sim tinha que ser macarronada porque se fosse sopa eu não comeria- e já me ensinava o exercício poético do amor.  A Menina Que Mastigava Letrinhas, chegou acompanhada de O Resgate juntamente com com o capricho de seu bordado que me fará companhia na cozinha com todas as joaninhas. Não tenho palavras pra dizer o quanto sou grata ao seu carinho.

Te amo! Beijo grande!    
(Anna Garcia)



FEIRA DE ARTESANATO DO PARQUE SÃO DOMINGOS DE OUTUBRO/2016




TUDO POR ESTES SORRISOS...  






SESSÃO DE FOTOS COM MEUS PERSONAGENS REAIS E IMAGINÁRIOS


EU, MINHA BONECA JUJU, MEUS LIVROS INFANTIS E A VARETA 


É IMPRESSÃO MINHA OU A VARETA ESTÁ ENCIUMADA?


OU É A JUJU QUEM ESTÁ ENCIUMADA DA VARETA...  OLHEM A EXPRESSÃO DELA COMO MUDOU...


MEU NOVO LIVRO INFANTIL "A MENINA QUE MASTIGAVA LETRINHAS", COM PREFÁCIO DE LUCIMAR ATHAYDE E ILUSTRAÇÕES DE MARIA CRISTINA VIEIRA ESTÁ NA FLIM DE MARINGÁ...


FESTA LITERÁRIA INTERNACIONAL 
 TERCEIRA FLIM EM MARINGÁ COMEÇOU HOJE
Um beijo para quem encontrar o meu livro A Menina que mastigava Letrinhas, ilustrado pela maravilhosa Maria Cristina Vieira



FEIRA DE ARTESANATO PARQUE SÃO DOMINGOS DE SETEMBRO/2016






QUADRAGÉSIMO OITAVO SARAU DA CASA AMARELA
UMA LUZ PARA A LITERATURA



APRECIANDO A OBRA DO PAI: PUNK ALÉM DA LENDA FOI O ILUSTRADOR...





LANÇAMENTO DOS LIVROS SOLO DE LIZ RABELLO NA BIENAL 2016 EM SÃO PAULO



BETO E SEUS BONECOS MÁGICOS  E MINHA POESIA DE BANDEJA




O GAROTINHO PEGOU O LIVRO, FOLHEOU, PAROU...
VOLTOU À CAPA, FIXOU OLHAR NAS LETRINHAS NO PRATO DE SOPA... VIROU DE PONTA CABEÇA E GRITOU: É AMOR!






A BRUXINHA DA CUECA ESTEVE NA BIENAL E VALORIZOU O MASTIGAVA... 
 LINDA AMIGA QUE CONHECI EM MARINGÁ











CÓDIGO AGV é um dos meus contos que mais amo. Foi publicado pela primeira vez no livro AMOR SEM FIM, uma Antologia do Beco dos Poetas, meados de 2012. Depois eu o republiquei em um livro solo INTERVALOS, em novembro de 2012



PROJETO "JÚLIO PRESTES ESTADÃO"

"SARAU NA ESCOLA ESTADUAL JULIO PRESTES ESTADÃO SAI NA CAPA DA REPORTAGEM DO CRUZEIRINHO DE SOROCABA EM 12/06/2016 E NA SEXTA DIA 10/06/2016 
NO CADERNO PET "MON PETIT"







O PROJETO TEVE INÍCIO EM 2015 COM A LEITURA DO LIVRO "AMOR À PRIMEIRA LAMBIDA", DE LIZ RABELLO DIALOGANDO COM OUTRA AUTORA, JANDIRA MANSUR:  "O FRIO PODE SER QUENTE? "   


A ideia seria transformar a poesia de Jandira Mansur em prosa e a prosa  do livro sobre a história real da Vareta , cadelinha resgatada da Marginal Tietê e adotada, em poesia




NASCERAM POESIAS E DELAS APRESENTAÇÕES NO SARAU "AMOR À PRIMEIRA LAMBIDA"


A Varetinha era muito medrosa
A cada relâmpago se escondia
Ela foi encontrada na rua
Mas isso não importa
(...)
No começo só ficava pelos cantos
Agora faz bagunça pra todo lado
Varetinha, Varetinha

(Felipe Miguel Ferraz)

ENTRE UMA APRESENTAÇÃO E OUTRA NÃO SE BATIA PALMAS, MEXIAM-SE AS MÃOZINHAS, PARA NÃO ASSUSTAR A VARETA,   QUE ENTRE ELES SE MOVIMENTAVA NA  MAIOR ALEGRIA!


A vitória de Vareta
Ele viu uma cachorrinha
Que em pânico chorava
Deu a ela comidinha
E levou-a para ser tratada.

Por obra do destino
Tinha a mãe morando sozinha
Levou para ela a cachorrinha
Que lhe faz muita companhia.

(...)



Já é tratada como humana
Usa até sapatos
Ainda faz artimanhas
Mas sempre espertos atos.

(Ana Cristina Rodrigues Henrique - 7a Série - Escritora e autora mirim de "As Sementes de Ana Cristina, Editora Essencial, 2015)




DEPOIS NASCERAM POESIAS E DEPOIMENTOS ACERCA DOS PRÓPRIOS ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO E FORAM TANTOS E TÃO BONS OS TEXTOS QUE NEM TODOS SE APRESENTARAM NO SARAU "AMOR À PRIMEIRA LAMBIDA"




MUITO EMOCIONADA EU TAMBÉM DECLAMEI UM POEMA PARA A VARETA QUE FIZ ESPECIALMENTE PARA ESTA OCASIÃO E QUE PRESENTIEI OS ALUNOS, COM MARCADORES DE LIVROS...




MAIS RECENTEMENTE INTRODUZIMOS NO PROJETO A LEITURA DO LIVRO "O RESGATE" ,  QUE NARRA A HISTÓRIA FICTÍCIA DE COMO PODERIAM TER SIDOS OS SEUS PRIMEIROS MESES DE VIDA SEM UM LAR...



ENTREMEANDO COM AS LEITURAS , ACONTECERAM APRESENTAÇÃOES DOS ALUNOS TOCANDO FLAUTA, SAX E PIANO...




O SARAU FOI COMANDADO PELAS PROFESSORAS MARIA ANTONIA COSTA E REGINA MATAVELLI, COM A PRESENÇA DA CONVIDADA ESPECIAL "VARETA" E SEU ANJO DA GUARDA, QUE A SALVOU DAS RUAS: RODRIGO BRANDÃO...  ELA DESFILAVA ENTRE OS ALUNOS NA MAIOR CUMPLICIDADE, ALEGRE E ENCANTADA, NO COLO OU NO CHÃO...



É uma premissa simples, somos responsáveis pelo meio que vivemos. Em alguns momentos somos tocados por uma situação ou uma causa e agimos conforme nossas forças, valores ou ideais. As boas atitudes estão sempre correlacionadas. Uma espécie de rede em que vários agentes dão sua forma em uma trama que se faz de forma espontânea. Gostaria de ratificar minha admiração ao trabalho amoroso e preocupado das professoras Maria Antonia e Regina Matavelli, que claramente estão empenhadas numa formação mais verdadeira: aquela capaz de orientar o conhecimento a partir da formação da consciência dos alunos. Fato é que eu sou só mais um indivíduo e Vareta é só mais um cãozinho, mas que ao ser observados pela delicadeza no olhar e escrever de minha mãe - Liz Rabello, daí pro livro e como parte deste projeto que é maior, pois iluminou tantos outros talentos. Assim, anjos somos todos nós que entendemos o próximo com mais empatia, pois como haveriam de ser, anjos são os que se entregam em amor irrestrito, como os da Fundação Alexandra Schlumberger ao proporcionar uma vida saudável e mais feliz aos animaizinhos que resgatam... Minha mais profunda gratidão aos alunos, professores e envolvidos neste lindo trabalho de educação e respeito à vida. (Rodrigo Brandão)





A FAS FUNDAÇÃO ALEXANDRA SCHLUMBERGER  ESTEVE PRESENTE NO SARAU E FOI RESPONSÁVEL PELA EXIBIÇÃO DO VÍDEO PRODUZIDO PELA PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO
 "FULANINHO, O CÃOZINHO QUE NINGUÉM QUERIA"



FAS- Fundação Alexandra Schlumberger - Bárbara e a presidente Eliana, junto com a coordenadora do Ensino Médio Angelita Moraes


MOMENTOS MUITO EMOCIONANTES E MARCANTES


A melhor arma para se lutar contra a violência que está instalada em nossa sociedade é esta troca de sensibilidade e amor.  Sentir-se no lugar do outro, no caso "O Fulaninho que ninguém queria"


Brenda muito sensibilizada chorou demais, mas também soube ser feliz...


VARETA PASSEOU POR VÁRIOS BRAÇOS E MUITO À VONTADE FICOU...





 UM MOMENTO MARCANTE FOI O CORAL, COM A REGÊNCIA DA PROFESSORA REGINA MATAVELLI CANTANDO UMA PARÓDIA ESPECIAL PARA MIM E PARA VARETA




DISCURSANDO EM AGRADECIMENTO PARA A PLATEIA OU MESMO ESCUTANDO ENTUSIASMADA, A EMOÇÃO ROLOU SOLTA NO AR...



A PRESENÇA DA VICE DIRETORA E DAS COORDENADORAS PEDAGÓGICAS, SE FEZ ACONTECER. MUITO AGRADECIDA PELO ENTUSIASMO E CARINHO QUE FOMOS RECEBIDOS:   EU, MEU FILHO, E, É CLARO, NOSSA PRINCESA VARETA...


A PRESENÇA DAS COORDENADORAS PEDAGÓGICAS SE FEZ ACONTECER. ASSIM COMO DO PESSOAL DA FAS FUNDAÇÃO ALEXANDRA SCHLUMBERGER: ELIANA - BARBARA – ANGELA MUITO AGRADECIDA AO SENHOR DIRETOR GUARACY BUENO, QUE MUITO COLABOROU PELO SUCESSO DO EVENTO.



AGRADECEMOS A PRESENÇA DE AMIGOS,  DO NICHOLAS (CUIDADOR ANÔNIMO, INCANSÁVEL E AMOROSO COM VARETINHA)...   


AOS ALEGRES CONVIDADOS QUE FIZERAM QUESTÃO DE PRESTIGIAR A VARETA...  UM CARINHO ESPECIAL E ATÉ A PRÓXIMA!







AO MEU AMADO CARLOZ TORRES, DONO DA ESSENCIAL, RESPONSÁVEL PELOS LIVROS E INCANSÁVEL NO TRABALHO EDITORIAL, UMA GRATA LEMBRANÇA


AOS BASTIDORES DO JORNAL CRUZEIRO DO SUL, JORNALISTA REGINA HELENA SANTOS, AO FOTÓGRAFO E À ENTREVISTADORA, CUJO EMPENHO NA REPORTAGEM GEROU FIDELIDADE AO EVENTO, QUE REALMENTE FOI UM SUCESSO EXEMPLAR


PARA A AMADA MARIA ANTONIA UM MIMO:   "TROFÉU VARETA"



AOS ALEGRES ALUNOS DO NONO ANO, QUE FIZERAM QUESTÃO DE CONHECER A VARETA...  UM CARINHO ESPECIAL E ATÉ A PRÓXIMA!




AOS ALEGRES ALUNOS, AMOROSOS AMIGUINHOS DOS ANIMAIS, UMA SENSAÇÃO DE DEVER CUMPRIDO   ATÉ A PRÓXIMA!






















SARAU À PRIMEIRA LAMBIDA
LIVROS DE LIZ RABELLO
“AMOR À PRIMEIRA LAMBIDA” E “O RESGATE”

DIRETOR: Guaracy Bueno
DIRETORA: Soraia Rezende Jundi
VICE DIRETORA:  Kátia Nardin
COORDENADORA DO ENSINO FUNDAMENTAL - Maria Ines Sotto
 COORDENADORA DO ENSINO MÉDIO:  Angelita Moraes
PROFESSORES ENVOLVIDOS:
ARTE:  Maria Antonia Seabra A. Costa
SALA DE LEITURA: Regina de Fátima Lourenço Matavelli
BIBLIOTECA:  Samara Antunes Fonseca
PORTUGUÊS: Maria Beatriz Dantas
PORTUGUÊS:  Maria Cristina Romero

TURMAS
6º Anos A – B – C (2015)
7º Anos A – B – C (2016)

FUNDAÇÃO ALEXANDRA SCHLUMBERGER - FAS
ELIANA - BARBARA – ANGELA

JORNAL CRUZEIRO DO SUL DE SOROCABA



LANÇAMENTO DO LIVRO SOLO "O RESGATE" 
NO SARAU DA CASA AMARELA EM SÃO PAULO

















II FLIMP - FEIRA  LITERÁRIA  INDEPENDENTE  MARGINAL PERIFÉRICA

















ESTE E OUTROS LIVROS ESTIVERAM   À  VENDA NA GALERIA OLIDO
 DIAS 11/05 E 12/05/2016



"SARAU POETAS DO TIETÊ NA BIBLIOTECA AFONSO SCHIMIDT EM SÃO PAULO"



MEU NOVO LIVRO INFANTIL, EM PRIMEIRA MÃO, NO SARAU "POETAS DO TIETÊ"












FEIRA DE LIVROS NO CENTRO DA JUVENTUDE CCJ   -  ZONA OESTE DE SÃO PAULO






MINHA VARETA ESTÁ NA ANTOLOGIA "VALE DAS FADAs" 





Trata-se de um lindo trabalho com contos infantis, homenageando nossa amada Tayná com seu talento e sua vovó Genha Auga, que organizou esta antologia e a publicou pelo Beco dos Poetas. Adoro participar de Antologias, mas esta teve um caráter especial. Muito feliz!




ADORO PARTICIPAR DE ANTOLOGIAS, AINDA MAIS QUANDO ESTAMOS AO LADO DE PESSOAS "FAMOSAS" EM NOSSO CORAÇÃO...


MAIS UM TESOURO EM MINHAS MÃOS


Amei a surpresa maravilhosa! Estar em seu livro Leide Borges é brilhar muito na página 149... Parabéns pelo capricho, pelo carinho aos amigos, por nos encantar diariamente com suas trovas... Talento ímpar, escritora meticulosa, livro perfeito. RECOMENDO!


Procurando o meu banquinho

Eu li tudo de uma vez

Fome fiquei de mansinho

de correr para um banquinho de vez...

Liz Rabello
 PARTICIPAÇÃO NA ANTOLOGIA E NO GRANDE LIVRO EM PRAÇA PÚBLICA NA CIDADE DE JALES





OS ESSENCIAIS NA PRIMEIRA FEIRA LITERÁRIA MARGINAL PERIFÉRICA INDEPENDENTE DA CAPITAL PAULISTA 









MINHA BRINCADEIRA ERA MUDAR OS LIVROS DE LUGAR PARA CHAMAR ATENÇÃO DO PÚBLICO QUE CIRCULAVA PELA GALERIA


 ORGANIZADORES DO EVENTO:  AMIGOS NOVOS E ANTIGOS...  PARABÉNS! GRANDE IDEIA!



REVER AMIGOS AMADOS DO MEU PASSADO FOI UMA GRANDE ALEGRIA!



VIVENCIEI DUAS POSSIBILIDADES:  O LANÇAMENTO  INDIVIDUAL E O LANCE DO CORPO A CORPO COM UM LEITOR QUE NÃO TE SABE COMO ESCRITOR. A SEGUNDA VIVÊNCIA É BEM MELHOR.



 A leitora parou no estande e pegou um livro meu e o folheou. Era Lua no Chão, depois pegou Mil Pedaços e por fim Intervalos e o comprou. Só então é que me identifiquei como a escritora e fiquei muito feliz porque não interferi em nada para que quisesse ler o que escrevi. Este momento foi um dos mais emocionantes que vivi.


SEGUNDA FESTA LITERÁRIA EM MARINGÁ - PARANÁ "FLIM"  - OUTUBRO DE 2015







PRIMEIRA FEIRA LITERÁRIA DA ZONA SUL 
FELIZS  NO SESC CAMPO LIMPO EM SAMPA




 LANÇAMENTO NA MARTINS FONTES COM A PRESENÇA DE AMIGOS QUERIDOS



"QUERO DIZER-LHE QUE LI "LUA NO CHÃO" FIQUEI APAIXONADA PELO "MILAGRE DA VIDA"... TRECHOS - Caminhos entrecortados - ao acaso perdido - sorrisos se espalham e sonhos coloridos. Acredito que todos nós temos um pedacinho de "Lua no Chão" . Você é uma pessoa de mil brilhos.
(Diva Barbosa Nunes)













Está manhã recebi minha fanzine , trabalho que fiz com uma das professora mais belas deste imenso Brasil, e ainda recebi um livro dela. Como estou honrada ( SOU SUA FÃ NÚMERO UM ). Penso que esta é a oportunidade ideal para agradecer por tudo aquilo que você fez por mim, por tudo o que me ensinou em aula e, também, por tudo de bom que a sua postura séria, honesta e ética sugere a mim. Acredito que a sua vida seja bastante complicada, com tantas coisas a ensinar, com tantas provas a corrigir, com toda a preocupação em saber se os seus ensinamentos foram assimilados... creio que sejam poucas as profissões que exijam tanto de alguém como o magistério, pois a sua tarefa não termina quando o sinal sonoro indica o fim da aula, e isso torna a sua função um verdadeiro sacerdócio, não é? Sei que às vezes não sabemos reconhecer o seu esforço e a sua dedicação e, assim, peço-lhe desculpa pro. Não é por mal, acredite! A senhora fez um papel imenso na formação de meu caráter e personalidade me trazendo cultura, ética , moral .A gente ouve dizer que a vida do professor é muito sacrificada: muito trabalho, muito estresse, pouco respeito e pouco dinheiro... No entanto, quero que esta cartinha toque o seu coração e a sua mente como uma luzinha no fim do túnel, como uma renovação desta sua esperança latente de que, um dia, finalmente, o mundo saberá reconhecer o valor das suas palavras, da sua abnegada dedicação, do seu árduo, nobre e sagrado trabalho. Eu já estou fazendo isso, acredite! Liz Rabello o que conquistar daqui para frente saiba que boa parte foi graças a Senhora minha eterna professora . Te adoro e sempre te levarei comigo em meus pensamentos e em meu coração. 

(Kerolen Pontes)


OBRIGADA DEINHA POR SUAS LINDAS PALAVRAS
"Longe da agitação de SP, recomecei e terminei a leitura do seu livro. Fantástico! O q me emociona é como vc é inteira em tudo q faz! Como sempre, me identifiquei em vários momentos. Que prazer poder ter ouvido da sua boca, várias das histórias escritas aqui.Ouvi uma frase q dizia assim: Gente genuína gera gestos gigantes! Vc é assim, genuína! Só posso esperar gestos gigantes. Como amo vc, minha amiga! Bj e continue escrevendo e nos encantando! "





OLHE AÍ MEUS LIVROS ME DANDO "SORTE" E DINHEIRO... SAIU MINHA EVOLUÇÃO FUNCIONAL. CONSEGUI MINHA ÚLTIMA REFERÊNCIA ANTES DE ME APOSENTAR ATRAVÉS DE DOIS PONTOS PELO LIVRO SOLO E UM PONTO POR CADA UM DOS ARTIGOS PUBLICADOS... IHUHUHUHUHUH! FELIZ DA VIDA!


LANÇAMENTO DE "LUA NO CHÃO" NO CANTINHO GIRASSOL




LIZ E SUA LUA NO CHÃO
Ela está lançando seu livro hoje e aqui,

Contos poéticos lindos de ler...

Para minha amiga Liz

Fiz esta poesia assim:



Tatuzinha tatuada de amor,

É um conto que dá vontade de ler

Também tem muitos outros

Um melhor do que o outro!



Ela é muito mais que amiga,

Poetisa, professora e muito querida!

Admiro e gosto muito dela,

Especial como uma donzela.



Desejo sucesso com o Lua no Chão,

Que voe alto como um avião,

Seja muito feliz,

Te amo Liz!

 Ana Cristina Rodrigues Henrique

 (Autora mirim, 11 anos, "Sementes de Ana Cristina", Editora Essencial, 2015)



















SARAU DE LANÇAMENTO DE "LUA NO CHÃO" NO CANTINHO GIRASSOL

















LANÇAMENTO DE "LUA NO CHÃO" NA LIVRARIA CORTEZ...  EM FRENTE À PUC - SP

ESFRIOU, CHOVEU, O TRÂNSITO VIROU CAOS E MESMO ASSIM ALGUNS AMIGOS CHEGARAM EM TEMPO HÁBIL... DESCULPAS A QUEM NÃO CHEGOU... SÓ SOUBE QUE A LIVRARIA FECHARIA ÀS NOVE QUANDO JÁ ERAM OITO E POUCO, NEM MEUS FILHOS CHEGARAM A TEMPO...




Adivinha com quem estou conversando ao celular? Anna Garcia... Diretamente de BH... Comigo... Coração não tem barreiras... Obrigada minha amada!










 LAÇAMENTO DE LUA NO CHÃO EM CAMPINAS NO BAR DO MOTA COM SHOW DOS ARGONAUTAS E  PINTURAS DE SMILE DELACOUER


























LUA NO CHÃO
COM RECHEIO DOIDINHO PARA SER DEVORADO PELOS SEUS OLHOS


LETRAS ACORRENTADAS

Palavras dentro de mim
Ficam aprisionadas!
Liberto-as ao escrever
Mas se ninguém as lê,
permanecem em cativeiro!
Preciso de você pra me trocar,
Dividir comigo o que sinto,
Unir sombras alinhadas
projetadas contra luz!
Sou paixão, sou emoção,
Minhas rimas incompletas
Clamam por teus dedos
Notas musicais fazer vibrar!
Sou fome de querer
nestas linhas inocentes,
e sem ti para as ler
Um deserto sem nascentes!
Dias sem auroras!
Chuvas de estrelas,
Sem noites pra brilhar!
Madrugadas sem partidas!
Sou sonhos, sem castelos
Não sou nada, sou sem asas
porque sem ti, como posso voar?
Sem teus olhos, como posso me soltar?

Liz Rabello



LUA NO CHÃO É MEU LIVRO MAIS RECENTE DE CONTOS POÉTICOS... PRETENDO FAZER SEU LANÇAMENTO NO DIA 20/06/2015, NO CANTINHO GIRASSOL EM SOROCABA E APRESENTÁ-LO AOS AMIGOS EM CRUZ ALTA, FINAL DE MAIO, RIO GRANDE DO SUL NO ENCONTRO DA ACADEMIA ALPAS, ONDE OCUPO A CADEIRA 47... AQUI EM SÃO PAULO O LANÇAMENTO ESTÁ MARCADO PARA DEZENOVE DE JUNHO, NA LIVRARIA CORTEZ...   EM CAMPINAS SERÁ NO DIA DOS NAMORADOS, NO BAR DO MOTA, COM A PRESENÇA DO MÚSICO E SUA BANDA MARCELO DINIZ... OLHOS NAS ESTRELAS E LUA NAS MÃOS... SONHANDO!






ANJOS DA MINHA VIDA LENDO MEUS LIVROS



Hoje, dia da Língua Portuguesa, uma Lua no Chão reavivou as estrelas de minha noite. Dia emblemático este em que sou cercada de carinho de minha queridíssima Flor de Liz,  mesmo estando a muitos quilômetros de distância. (Anna Garcia)


ANTOLOGIA "ÀS MÃES DA SÉ COM CARINHO"




Ser mãe não é padecer no paraíso

É ficar horas ao relento procurando

Instigando o espírito a revelar

Um paradeiro perdido

É abraçar o próprio corpo em desalinho

Centopeia de sapatinhos

Cinderela à procura do próprio pé

Descalço, sem calçar sandálias franciscanas

Olhos perdidos no abismo da eternidade

Porque maior amor não há

Nem jamais resistirá

À dor real,

Fatia da canção

Faminta e desolada

De bracinhos no pescoço

Inconformada

Segue solitária em oração!

Fé é tua corrente viva

Até a ponte final

Do outro lado: Salvação!

Liz Rabello











MEUS CEM EXEMPLARES CHEGARAM:  UMA  FESTA DE ALEGRIA!

Nosso Jornal Correio da Palavra está on line,  o endereço do blog é 

http://alpas-21.blogspot.com.br



PARTICIPAR DOS PROJETOS DA ANLPPB É SEMPRE AGRADÁVEL, EM ESPECIAL ESTE... NATAL DO BEM... CUJOS FUNDOS ARRECADADOS FORAM DISTRIBUÍDOS PELA EDITORA ILUMINATTA AOS MAIS CARENTES... MEUS POEMAS FORAM UMA HOMENAGEM AO MEU PAI ZEZINHO E OUTRO A UM AMIGO CÍCERO CARLOS E SEU PROJETO "LIBERDADE E PAZ"




OLHOS DO MEU PAI


Era uma manhã fria de Natal

Acordei e fui correndo pra cama de casal

Quatro ou pouco mais aninhos tinha então

Meu pai pegou em minha mão

Levou-me até a árvore de natal

E me mostrou um carrinho

Dentro dele um bebê de fralda

Com uma chupetinha azul

Brincando de mamar!

Desabei a chorar pura emoção

E nem me lembro de pegar senão o coração

Dos olhos de meu pai

Que comigo engatilhou nesta oração

Fazendo do meu natal o mais doce abraço

Que jamais me ouviu cantar em gratidão!


Liz Rabello



DEIXAR-SE ESTAR

Sentar-se num banco qualquer
Permitir o tempo passar
Levar saudades pro mar
Trazer o novo de lá
Quebrar-se aos pés a molhar
Ziguezagueando uma canção
Cortante de ventos a uivar!

O tempo destrói a vida, 
que segue e volta,
retorna à vida... 
Como ondas do mar em nossos pés... 
Não há como fugir , 
deixar-se estar,
de pés molhados,
a bailar e viver!

Liz Rabello




Meu silêncio se choca com gritos de dor 
Meu diálogo se cala com gosto de fel 
Minha mente se fecha com cheiro de pó 
Minha noite escurece com ausência de luz 
Meu dia não nasce... A tempestade reluz!
Forças se calam em mim sem lutar 
Flores se fecham sem jardim perfumar 
Inverno e neve coração a gelar 
Abre-se a cova da morte a calar 
Dor a perecer em algum lugar! 

INTERVALOS

Meu silêncio se choca com sons de calor 
Minha boca se abre a beijos de amor 
Minha mente se ilumina de luz interior 
Minha noite a dançar lua cheia a sonhar 
Sol vem raiar e o vento a bailar! 
Forças volvem revolvem feito ondas no mar 
Flores se abrem meu jardim encantar 
Primavera luz coração esquentar 
Abrem-se portas! Alegria renasce 
Vida começa por toda parte!


NOS INTERVALOS ENTRE A VIDA E A MORTE
 É POSSÍVEL SER FELIZ!

O mar da vida às vezes se agita, volvem revolvem ondas em revolta! Estranho como quando a gente se sente assim, sem verde esperança no olhar, sem futuro a palpitar e imediatamente, procuramos no sobrenatural, fontes de energia, para recarregar a bateria do coração. Foi o que aconteceu naquela tarde. Estava triste demais. Fui ao antigo Shopping Matarazzo, hoje Bourbon, olhar vitrines, ver pessoas, enfim, me distrair!
Descendo pelas escadas, chamou minha atenção, um grupo de pessoas no andar de baixo. Estavam próximas a um rapaz, totalmente vestido de branco. Era uma fila. As pessoas sentavam-se numa cadeira próxima a ele, deixavam-se ler as mãos, ouviam o que dizia e davam uma oferenda monetária. Livre. Se não quisessem dar, creio que não iria haver problema, pois o rapaz que lia as linhas das mãos era totalmente cego. E parecia não estar a serviço por dinheiro!
Nunca fui uma pessoa religiosa, nem crédula demais, mas naquela tarde ali fiquei. Esperei minha vez com ansiedade. Ele tocou uma de minhas mãos com cuidado. Demorou a balbuciar alguma coisa semelhante a “Que estranho! Sua linha da vida inicial não existe!” – Dizia-me ou perguntava se eu havia tido problemas logo ao nascer, como fora minha saúde, como consegui sobreviver... Claro que desabei a rir, sem querer, que não gosto de magoar as pessoas deliberadamente, mas aquilo tudo era tão inusitado, pueril, bizarro! Não me sobrava outra alternativa de conduta. Comecei a me gabar de como tinha saúde de ferro. Falava e falava que ele estava errado, que eu jamais ficara doente! Fora distúrbios emocionais, nada me impedia de respirar livremente e ser feliz na vida! Confuso, o rapaz insistia. Até que eu pedi para ele prosseguir, porque aquilo não tinha sentido. Comentou outros fatos: um grande amor que acabara em morte (eu me tornara viúva há pouco tempo), estudos, sucesso no trabalho, quantidade de filhos. Só que era tudo tão óbvio, que eu pensava ser apenas coincidência. Acertou, mas eu já nem prestava atenção. Do meu futuro, então, nem quis saber!
Após dar minha contribuição espontânea ao que achava inútil, fui embora daquela sessão de leitura de mãos sentindo-me ridícula! Uma pós graduada se enredando em coisas tão banais! Dirigi para casa ainda rindo de mim mesma. Jantei. Dormi. Fui trabalhar nos dias posteriores... Até que na madrugada da terceira noite acordei sobressaltada. Suava frio no leito e só me lembrava das palavras de minha mãe, contando-me a mesma história, que apagara de minha memória sem nem mesmo saber por quê. Eu não era para ter nascido! Como foi difícil minha luta pela vida bem antes de cortar o cordão umbilical! Mamãe levou um tombo de um ônibus, aos três meses de gravidez. Teve deslocamento de útero e o bebê (eu) teimava continuar a respirar, mesmo com todas as opções em contrário, pois era só minha mãe se mexer para sangramentos ocorrerem em abundância! Para que eu permanecesse viva, ela fez repouso absoluto até o sétimo mês, quando então tudo se normalizou. Meu pai, avós e tias, levavam comida na cama para ela, que chegou a ficar com chagas de posição! Juntos vencemos a morte! Eis-me aqui, feliz, porque existo, estou viva! Amo respirar!
Liz Rabello

O SEMEADOR DE PALAVRAS
HOMENAGEM A JOSÉ LUIS PIRES
ANTOLOGIA DA ALPAS


Liz Rabello

Raios de Luz 

Que venham ecos de montanha 
Raios de luz nas manhãs geladas 
Puros reflexos na água parada 
Encantos das auroras reiniciadas 

Que venham azuis dos mares 
Transparentes e límpidos olhares
Ventos uivantes nos penhascos
Que nada é perdido no tempo

Que venham recentes alegres memórias 
Mandando embora ares poluídos d'outrora 
Tempestades riscadas por outros encontros 
Relíquias esquecidas de folhas viradas
MINHAS CONQUISTAS

















VOCÊ PODE ADQUIRIR MEUS LIVROS VIRTUALMENTE ENTRANDO NO SITE DA EDITORA ESSENCIAL  OU  PESSOALMENTE NO SHOPPING FREI CANECA EM SÃO PAULO




APRESENTO-LHES MINHA VARETA, MEU LIVRO PELA ESSENCIAL, EM SUA HOMENAGEM



VARETA  E  SEU  MAIS  NOVO  BRINQUEDINHO




MEU PRÓXIMO LIVRO SOLO... LOGO LOGO ESTARÁ NAS LIVRARIAS...
















AS PRIMEIRAS VENDAS NA  BIENAL DE SÃO PAULO A GENTE NUNCA ESQUECE!
23/08/2014 - LANÇAMENTO DA ANTOLOGIA DELLICATTA IX
23ª BIENAL DE SÃO PAULO 2014



ORGULHO DOS MEUS AMORES

PRIMEIROS AUTÓGRAFOS



"Não poderia esperar outra coisa de um livro seu. Um texto claro, singelo, sensível...de alguém capaz de se encantar e aprender com um serzinho tão especial. E falando em especial, especial é você que consegue enxergar com os olhos do coração. Amei o livro! Obrigada por nos presentear com mais este livro!"


Andrea Bergamaschi




Ontem ao chegar em casa tive a grata surpresa de receber meu "Amor à Primeira Lambida" e junto, recebi o carinho e as lembranças que acompanham o nosso amor! Grata por seu carinho de tantos e tantos anos, Minha flor de Liz, um carinho que nem o tempo, nem a distância conseguiram apagar. Orgulho é o que tenho por tudo isso, orgulho pela construção dessa história! Grande, enorme, imenso beijo carregado de amor, respeito, carinho, gratidão e reconhecimento.

Anna Garcia








OLiz Rabello,adorável companheira de Letras, minha netinha Beatriz (6 anos) gostou mto do seu livro autografado AMOR À PRIMEIRA LAMBIDA. Pediu-me mais. Já estou com saudade de vc, linda. Que Deus te ampare, sempre.

Anizio Canola
AUAU...TOGRAFANDO  NA  VIGÉSIMA  TERCEIRA  BIENAL  DE  SÃO PAULO
30/08/2014 -  NOITE INCRÍVEL!




Wilson Moreira escreveu num post para o nosso livro:

Diógenes de Sínope (ruínas da Turquia atual) tinha raison, "quanto mais convivo com a humanidade, mais admiro os cães"... A Liz Rabello tá certa: os cães, especialmente os cães de rua - os abandonados - são companhias insuperáveis e amáveis... são os únicos animais da face da terra que amam incondicionalmente sem esperar 'retorno' e são possuidores de grau zero de ressentimentos ao contrário dos animais humanos que sempre fazem as 'coisas' esperando retorno, reconhecimento e lucro... A propósito recomendo A Era da Loucura de Michael Foley em que o autor te fala de Sísifo, o herói da mitologia helênica, que todos os dias empurrava a sua pedra montanha acima sem esperar recompensa pelo seu ato... Os cachorros são assim: não esperam recompensas de ninguém, não são comerciantes de fato como os primatas humanos que permutam tudo: até o nome de Deus virou comércio e marketing lucrativo ou rentável...






















"Li o seu livro "Amor a primeira lambida" lindinho demais,e o melhor o que dei de presente para meu sobrinho o incentivou,e ele disse que quando crescer mais,vai escrever a história do cachorrinho dele..Um lindo domingo à todos...bjsss"  (Neusa Lima)



VARETA NO 39º SARAU CANTINHO GIRASSOL


VARETA PROVOCANDO CIÚMES...


TE CUIDA VARETINHA PORQUE JÁ TEM DOIS "AUAUINIMIGOS ENCIUMADOS"



VARETA NO QUADRAGÉSIMO SARAU DO CANTINHO GIRASSOL
SEMPRE FAZENDO SUCESSO, NÃO É ELENICE FONSECA



LANÇAMENTO DA ANTOLOGIA "MANIFESTO PELA PAZ II "
VIGÈSIMA  TERCEIRA  BIENAL  DE  SÃO PAULO
27/08/2014 -   TARDE INCRÍVEL!


ASSUSTADOR

O mar avança
sobre o rio
indefeso
diante desta magnitude
pobres águas doces
rebelam-se,
fortes,
arrancam terras.
capelas
e sobre a propriedade
se dilacera.

Liz Rabello











MIL PEDAÇOS

Me fiz em mil pedaços
Pra você me decifrar
E de novo me montar
Quebra cabeça de desejos
Paixões desnorteadas
Estilhaços de esperanças
Paredes quebradas
Jogos de faz-de-conta
Vazios nos cantinhos
Invisíveis do olhar!

Me fiz em mil pedaços
Pra você tentar juntar
Peças que não se encaixam
Antíteses paradoxais
Cores que não combinam
Com aurora ou entardecer
Viagens sem futuro
Sem passado a entender!
Um presente recortado
Em filetes de amanhecer!

Me fiz em mil pedaços
Pra tentar me disfarçar
Que todinha me mostrava
E assim posso enganar!
Se quiseres me achar
Os pedaços encontrar
Basta apenas um por um
Sentimentos vir colar!
E não hás de me achar
Porque o meu Eu dentro de ti
Sempre perdido a te sondar!

(In MIL PEDAÇOS, Liz Rabello, Beco dos Poetas, 2012)





PALAVRA MÁGICA

Real é o nosso pensamento
Sonhos a nortear este sentir
Sou o que tenho dentro da mente
E não o que tu consegues mentir
Sobre mim ou sobre ti!

Real é a faísca do instante
Aquilo que se projeta de mim
Para um vazio fora de ti
E não o que tu consegues captar
Sobre ti ou sobre mim!

Diante da incerteza
O que é o mundo real
Ou o que é aparência
Fica apenas uma certeza
O que cabe dentro de mim!

Tuas verdades não são as minhas
Minhas mentiras não são as tuas
Só que há uma ponte entre elas
Do meu EU para o SEU
A palavra mágica: AMOR!

(Liz Rabello-In “ENCONTRO COM A POESIA”, 2013, Beco dos Poetas)




SEDE DE SILÊNCIOS

 Carícias de mãos entrelaçadas
Beijos roubados ao sabor do vento
Mistura de desejos e momentos
Dedos deslizando nos cabelos!
Toques suaves de corpos
Abraços apertados sem tocar!
Pés que se cruzam um ao outro buscar!

 Notas musicais que se encantam
Sem som ou delírios de gemidos!
Bocas que se abrem
Sem um ao outro voltar!
Mudas palavras teu olhar é tudo
Só esta sede de silêncios
Que naufraga dentro de mim a sonhar!

(In Antologia DELICATTA VIII - Editora Delicatta, 2013)



“Notas musicais que se encontram sem som ou delírios de gemidos! Bocas que se abrem sem um ao outro voltar! Mudas palavras teu olhar é tudo. Só esta sede de silêncios que naufraga dentro de mim a sonhar!”


(Liz Rabello)




DAS JANELAS DO PASSADO

Tenho janelas abertas do passado
Travas serenas prontas a me agasalhar
Saudades lindas e vibrantes!
Momentos vividos na infância
Sonhos a me iludir no presente!

A maioria das casas de nossa rua não possuíam ainda luz elétrica. Nós, sim! Mas o abastecimento era tão precário, que vivíamos apagões constantes. Éramos, então, obrigados a nos iluminar à luz de vela. Momentos lindos! Meu pai brincava de magia. Cortava o fogo com seus dedos ágeis e jamais os queimava. Depois pegava a vela e a levava ao caminho desconhecido do mundo dos contos de fadas: João e Maria... Perdidos na noite de lua escondida. O caminho iluminado pelo sol (vela acesa) era marcado na mesa da cozinha por casquinhas de pão. Eu fingia ser o passarinho que as pegava para levar ao ninho e dar aos filhotes o abençoado jantar. Os dois irmãos jamais conseguiram voltar, por conta de que eu passarinha as comia... Chegávamos a desligar a luz elétrica só para brincar de magia à luz de vela. Era tudo tão lindo e eu fico de novo feliz, só de lembrar. Quando a luz voltava não havia na mesa nenhum vestígio das casquinhas de pão abençoadas. Até hoje, amo este lance do pão francês. Sei que é vestígio de minha infância povoada de palavras, de sons, de sonhos, que meu pai carinhosamente me iludia!

(In INTERVALOS, de Liz Rabello, Editora Beco dos Poetas, 2013)


Li o livro de Liz Rabello “INTERVALOS”, entre os meus estudos de Francês. Faltam pouquíssimos trechos para terminar. Não li do começo ao fim. Mas aos pedaços. E tive a fortuna de começar, naquele domingo, pelo conto Um Lugar onde o Tempo parou... É feliz demais a tecelagem da poesia, depois os versos ressurgentes na prosa - ou ao contrário - não sei como a autora os concebeu, porque não há e não tem necessidade de explicação.  Aliás, a ausência de demasiadas explicações é que traz a margem traiçoeira dos limites entre a ficção, que é ótima, e a memória biográfica. Cheguei a chorar, não porque tivesse ali algum aspecto triste, mas porque é muito comovente o jeito aparentemente simples com que Liz fala da própria infância. Mas não é simplicidade, não! É humildade e estilo também. Em todo o texto, uma originalidade teima em aparecer, no modo como reinventa a escrita da narrativa a cada passo. Por exemplo, há a poesia Um Lugar onde o Tempo parou, ao lado do texto, como prosa condensada. Cada verso é um nódulo das impressões e sentimentos e vai reaparecer no corpo do texto. E o que é valioso, é que a autora não quer explicar nada, não pretende dar satisfação: ela apenas desenvolve, numa necessidade interna muito intensa aquilo que foi memória tão importante, que se torna digna de um, dois ou mais registros. De fato Um Lugar onde o Tempo parou quase leva o leitor hipnotizado para onde a autora quer. Surge no texto o clima que assusta um pouco – a aura de mistério – ao mesmo tempo que dá paz. Às vezes, a dor vem tão de frente com o coração, que é melhor fechar o livro, um pouco: “Como é que ela aguentou?” Depois a gente conclui que se a autora "aguentou" foi porque tem o peito aberto e, se tem o peito aberto, é porque tem força. Uma força que vem, claro, da sua família, que é especial de cabo a rabo. Aquela história da primeira geração de italianos no Brasil, tal como fala no seu livro, destinados os imigrantes ao "clareamento" do povo, é audaciosa! “INTERVALOS” tem humor, amor, dor, êxtase, sensualidade... Entrega total! Liz é uma autora tão delicada quanto corajosa!
(Valquíria Maroti Carozze, Escritora)




INTERVALOS  

LIZ RABELLO
Li, ou melhor, “devorei”, o livro Intervalos, de Liz Rabello.

Com sua escrita clara, poética, sensível, a autora nos conduz por trechos de sua vida, de modo ameno e agradável. Desde seu estágio no útero, ela vem caminhando pelas trilhas da infância, entre apagões e brincadeiras à luz de velas. Passa pelos atalhos da adolescência, época de amores eternos, pela fase adulta, maternidade, dores e alegrias, com maestria, bom senso, humor e habilidade.

“Código AGV” é suspense do começo ao fim!

“Ser mãe é fatal”, deixa qualquer mãe de coração apertado e parece história inacreditável, mas ela jura que é verdadeira. Como não enxergar ali a mão da Providência?

Em “Memórias de uma Professora” ela nos faz acreditar que é possível transformar este país, basta haver boa vontade e senso de dever.

Seu amor pelos bichos é contagiante. Vejam lá “Meus amigos Peludos e outros mais”.

Mas o que mais encanta em Intervalos, é o amor que Liz revela pela Vida, e a sabedoria que esta lhe proporcionou.

Sim, Liz, você tem razão, “entre a metamorfose e o voo, é possível ser feliz.” Estou certa de que sempre haverá uma violeta entre as pedras do seu caminho.

Parabéns pelo livro, que recomendo a todos.


Lu Narbot
Escritora, médica, membro da Academia Nacional de Letras Portal do Poeta Brasileiro - Cadeira número 21 - 
lunarbotpoltronacorderosa.blogspot.com





Momento prazeroso a leitura dos contos e poemas do livro Intervalos, de Liz Rabelo!


Seus contos me levaram ao passado, presente na minha memória, talvez por ter morado na mesma região que ela, talvez por ter estudado na mesma escola onde lecionou, o Rui Bloem, que me traz doces lembranças! Entre canários, bruxas voadoras, precipícios, milagres, amores perdidos, eternos, impossíveis, Liz Rabelo revela sua coragem, seu amor ao próximo, à natureza, aos animais, aos seus familiares, à vida.  Como não rir com o canário confundido com outro pássaro, se emocionar com a graça concedida após atravessar um riacho, se divertir com histórias engraçadas de bruxas voadoras perseguindo baratas, não concordar com a máxima, “Ama a teu próximo mais do que a ti mesmo!”, em “O olhar de um cão”?

Entre um conto e outro, Liz Rabelo nos brinda com intervalos poéticos que amarram a narrativa dos contos, como se fosse um aperitivo, antes de saborear o próximo conto, revelando seu talento, como por exemplo, em “Bolhas de sabão”. 

Parabéns pelo trabalho Liz Rabelo, gostei muito!   Se me permite, vou encerrar com a transcrição de um poema seu, bastante significativo.


DE DENTRO DOS LIVROS


Se agasalham os sonhos

Para não morrerem de tédio!
Casulos permanentes!
Quando se abrem as páginas...
Ah, que gozo magnífico!
Borboletas voam!
Desapegadas!
Alegres
Livres sem noção
Loucas de emoção
Em queda livre
Precipício de incertezas
Asas de uma asa delta!
Bjs linda!
E mais uma vez,
Parabéns pelo livro!!!


                                                             Cícero Carlos







Recebi Intervalos de Liz Rabello a obra dessa minha amiga do coração. Autografado, com linda dedicatória, comoventes palavras. Ah, Liz, não só por isso, mas também por isso, posso dizer-lhe que eu te amo. E desejo-lhe tudo de bom. Coisa boa é sentir a presença de Deus, o que nos torna mais fortes contra as intempéries do viver...



"Como não me encantar com a doçura das suas palavras? Li e encontrei poesia, música suave aos meus ouvidos, perfume delicado, precioso, brilho intenso, sensibilidade...

Falando de fidelidade, encontrei milagres e de milagres encontrei amor. Amor incondicional, forte na sua fragilidade, que só poderia ser aprendido com o simples, o menos complexo, o improvável, o amigo peludo. Amigo que brinca, diverte, arranca risos, faz travessuras, feito criança feliz, feito Ricardo Brandão... rsrs! Memórias de um tempo bom! A vida relatada em seus detalhes, aqueles que realmente fazem a diferença.

Lembrei-me de uma música... "Quem foi que te disse que a vida é um mar de rosas? Rosas tem espinhos e pedras no caminho..."  Mas percebi também, o motor da Esperança, aquele marcapasso que faz o coração da gente continuar batendo, mesmo quando o sistema central já parou de funcionar. É a força para se seguir em frente, é um sonho de açúcar mascavo embrulhado num papel de seda azul. Parabéns, seu livro é inspirador! Amo você para toda eternidade!"

Andrea Bergamashi


 Além do Poema - Vera Margutti: LIVRO "INTERVALOS" DE LIZ RABELLO: Tirei um delicioso intervalo pós-férias para ler INTERVALOS da querida amiga escritora Liz Rabello (Editora Beco dos Poetas) que me dedicou ...

http://www.veramargutti.com/2014/08/livro-intervalos-de-liz-rabello.html?spref=bl

VERA MARGUTTI, escritora, amiga da Academia Nacional de Letras Portal do Poeta Brasileiro, hoje me presenteou com esta página em seu blog, tecendo comentários sobre o livro INTERVALOS, de minha autoria. Não poderia ser melhor, tudo o que escreveu veio ao meu encontro como uma salva de palmas sem fim, um manacá da serra florido, em pleno inverno sem água. Como agradecer tanto carinho? Penso que o maior elogio a um escritor é a leitura de sua obra. Portanto, vamos lá. Poetas, escritores, jornalistas... Que tal este exercício de leitura mútua? Lançado o desafio...



"É no "intervalo" da madrugada, no silêncio, insone, que me debruço neste livro encantador"       (Josy Maria)


Entre um intervalo e outro ,leio , bons livros, este aqui é da escritora e poetisa Liz Rabello - Minha amiga... Gente vocês precisam ler esse livro... Estou lendo aqui (Micos de um apaixonado Pg 78/79) aqui podemos discernir, a fidelidade de animal de estimação. (Marcos Nascimento)


 


MUTAÇÃO

Meu amor é feito flores
Perfumes que exalam paladares
Gosto que perfuma os ares!
Meu amor é feito seda
Brilha na maciez da pele
Dedos coloridos de luz!
Meu amor é feito água
Escorre pelas veias d‘ alma
Adentra pelos rios das lágrimas!
Meu amor é feito música
A mais linda que seus olhos ouviram
A mais bela que seus ouvidos viram!
Mutação de sentidos
Sintonia total!
Sinestesia!
Sinta!

Liz Rabello






LANÇAMENTO DA ANTOLOGIA III DA ANLPPB, em Maceió, 2013

"Palavras são como o mar

Volvem revolvem areia agitar
Vão e voltam pro mesmo lugar
Levam e trazem conchinhas de paz"

Liz Rabello



""Palavras são como árvores
Tecendo verdes paisagens
Ecos em montanhas e vales
Poluição transmutando doces ares"

(Liz Rabello)






“Palavras dentro de mim ficam aprisionadas! Liberto-as ao escrever, mas se ninguém as lê, permanecem em cativeiro! Preciso de você pra me trocar, dividir comigo o que sinto, unir sombras alinhadas, projetadas contra luz!  (...) Minhas rimas incompletas clamam por teus dedos notas musicais fazer vibrar. Sou fome de querer nestas linhas inocentes, e sem ti para as ler um deserto sem nascentes!  Dias sem auroras, chuvas de estrelas, sem noites pra brilhar. Madrugadas sem partidas, sou sonhos sem castelos. Não sou nada, sou sem asas, porque sem ti, como posso voar? Sem teus olhos como posso me soltar?”


(Liz Rabello)

“Perdida no vazio das horas, angústia de quem ama em vão, cristais de sangue estilhaçados, rosas murchas em solidão. Meu coração se fez em mil pedaços, e em cada corte se transmuta inteiro, porque você rasga os nós dos laços, costura estrelas, brilhas nos espaços.”


(Liz Rabello)






DIAMANTE BRUTO:  A VIDA!

CAMINHOS DO NÃO SABER!
As melhores rotas
São as não planejadas
Caminhos trilhados ao acaso
Confiança na intuição
Vá! Siga por este atalho
Não! A estrada longa
E incerta é a mais viva!
A razão sempre diz o contrário!
É preciso ser forte o bastante
Para deixar-se levar pelo novo
Inusitado caminho do não saber!
(In "DIAMANTE BRUTO, de Liz Rabello, 2013, Editora Beco dos Poetas)






ABRAÇO COM PALAVRAS

A você, meu amor,
Que meus braços não alcançam,
Eu abraço com palavras!
E Palavras são como pássaros
Voam em todas as direções
E se encontram rios, criam pontes
Onde o Amor vai e vem!
Palavras são como vento
Naufragam no pensamento
Passam pelas frestas
Entreabertas das janelas
Escancaram portas fechadas
Enternecem corações!
Palavras são como as águas
Correm pelas curvas das calçadas,
Pelos declives do caminho,
Em busca de um ribeirinho
Mas se juntam a outras águas,
Para unir as multidões!
Palavras são como as cores
Arco-íris leste/oeste
Tingindo o branco de tons
E o preto de brilho!
Amanhecendo a aurora
Com a luz da madrugada
Tecendo o entardecer de rubro anil
Sorrindo para a vida que dorme logo ali!
Palavras é como a música
Alimenta a alma
Rejuvenesce o espírito
Amadurece o coração do jovem
Para entender o verdadeiro sentido da vida!
Palavras só podem ser usadas com Amor!

(In MENINAS SUPER POÉTICAS II, de Liz Rabello, Editora Beco dos Poetas, 2012)


HOMENAGEM DA POETISA MIRIAN WARTTUSCH PARA TODAS NÓS "MENINAS SUPER POÉTICAS" - DEUSAS DO AMOR, MUSAS DA PAIXÃO




CÓDIGO AGV foi o meu primeiro conto, publicado em uma antologia coletiva AMOR SEM FIM, pela Editora Beco dos Poetas, em 2012. Eu escrevi para o meu amor: RAFAEL GARCIA MACHADO BRANDÃO, meu netinho, minha vida, pedacinhos de mim especiais para ele. Trata-se de um conto que decifra um poema em código palavra por  palavra e de uma doce descoberta paradisíaca. Quando li pra ele, em primeira mão, antes mesmo da publicação, sua reação foi encantadora. Primeiro se identificou, depois se aconchegou no meu colo e por fim disse-me que era uma responsabilidade grande demais! Não sei se a aceitou, mas percebo que nossa convivência, após este fato, tornou-se muito mais aconchegante, próxima, repleta de beijinhos doces.


Te amo Rafinha...





DOIS CORAÇÕES... UM COMPASSO VIRTUAL!

De repente uma luz, uma força que me conduz
Eis-me em teus braços, em tua voz me laço
Fecho meus olhos, pra sentir melhor os sonhos
Sei que não é real, que é imagem virtual, sentimento surreal...
Mas tão forte bate o coração daqui, que te alcança além mar logo ali!
Toco a tela com meus dedos, frio de luz que se dissipa...
Onde estás, amor, que não te vejo? Te perco, bibelô de porcelana!
Coração de vidro, sintaxe mecânica, ondas de energia na penumbra!
É por ti que o meu coração bate descompassado... Desarticulado...
Que importa se não és real... Se, por fim, pôs fim à solidão banal!???


(In DOIS CORAÇÕES UMASÓ BATIDA, de Liz Rabello, Editora Beco dos Poetas, 2012)



UM OLHAR MÁGICO:  AMOR VIRTUAL: 
 MINHA CORUJINHA APAIXONADA POR UM BIBELÔ DE PORCELANA



QUANDO PENSO EM TI

Quando penso em ti

Meu corpo lateja de vontade de você
Meus olhos te procuram
Enquanto minhas mãos tateiam o corpo
à procura do ponto certo!

Quando penso em ti

Raios e trovões e relâmpagos
tomam conta do meu ser
Tortura infinita de desejos
Sem razão ou fim pra se perder!

Quando penso em ti

Chibatadas desesperadas
fazem o coração disparar
Desarmonia viceral
Desequilíbrio total!

Quando penso em ti

Sei que te amo
Como louca insana
a devorar a vida
perdida na tempestade
que jorra do meu ser!

(In POR DETRÁS DA CORTINA, de Liz Rabello, Editora Beco dos Poetas, 2012)






LIVRO ARTESANAL BORDADO À MÃO E COLADO 
RELEITURA ARTÍSTICA E ICÔNICA DO CONTO "MANUELZÃO E MIGUILIM" DE GUIMARÃES ROSA - 2011



QUANDO SE AMA O QUE SE FAZ CADA DEGRAU É UMA VITÓRIA!


BORBULHANDO SONHOS

Tem um sabor agreste
Verde oliva azul celeste
Gotas de arco íris em luz
Bolhas de ilusão no meu capuz
Tem um sabor de eternidade
Algo que transmuta realidade
Mudanças de estado, verdades
Erros de egos, status de vaidades
Tem sabor de alegorias
Luzes claras de alegrias
Sons suaves de euforias
Canções em doces melodias
Minha árvore dos sonhos
É assim... água corrente
Nas manhãs incandescentes
Abraçando sol lua paz nascentes!



AMOR SOMENTE

Nós dois a voar
Sol espaço brilhar
Mar gigante navegar
Ondas suaves repousar

Colorido ardente
Paixão candente
Estrelas na mente
Coração semente

Cantigas de ninar
Sorrisos a trocar
Serenos a bailar
Mãos a se tocar

Amor semente
Amor se mente?
Amor só mente?
Amor somente

Nada mais




MAIS UMA PÉROLA PARA MINHA COLEÇÃO


“EU” ESTRANGEIRA DE MIM 

Não sei que sinos soam 
quando tento me entender 
busco raízes que se mostram 
sem na terra se esconder

Não me acho, não me encontro 
não sei quem sou nem onde estou 
não há em mim um só sinal 
nem uma vida certa e fatal

Sou saudades do que fui
Do que restou, onde não estou
Dos sonhos que de mim se ausentou
Cicatrizes do que me machucou

Sou impulso, sou desejo
De ser “Eu”, mas “Só” me vejo
Sem identidade, sem idade
Ausência, “Eu” estrangeira de Mim

Liz Rabello







IV ENCONTRO DA ACADEMIA NACIONAL PORTAL DO POETA BRASILEIRO
TEXTO LITERÁRIO ESCRITO POR ACADÊMICOS DA ANLPPB E ESCOLHIDO ENTRE OS DEZ MELHORES PARA SER PUBLICADO PELA EDITORA ILUMINATTA 2014

POR LIZ RABELLO

(...) Certa vez decidi trazer para a rotina da sala de aula poemas inéditos. Não dos mestres: Cecília Meirelles, Carlos Drummond, Pablo Neruda. Que poetas assim, tão conhecidos, já são declamados demais. O projeto da Escola era Humanizar o Jovem no mundo da Tecnologia. A proposta chegou rápida: Vamos pesquisar poetas anônimos. Descobrir caminhos novos. E num repente, junto com os adolescentes, Luciana Dimarzio, a minha frente:

“Brotam-me palavras
puras
cruas
nuas
para vesti-las a meu bel prazer
(fatigo-me das roupas emprestadas)”

Esta poetisa, cuja família está em primeiro lugar, mora em Campinas, São Paulo, e seu talento com as palavras se revela num maravilhoso livro de poemas e frases Reversos (in) Versos, pela Editora Braspor, publicado em Dezembro de 2012. Em março do ano seguinte já foi laureada com o prêmio Mulher Destaque na Literatura pelo CPAC (Centro de Poesias e Artes de Campinas). Em maio deste ano recebeu o prêmio Troféu Staff de Ouro 2013 pelo destaque cultural. Mas quando a conheci pela Internet, era apenas a Lu do Face book, a Luciana do Canto da Lu, com um Blog gostoso de ler, já mostrando um talento insuperável com as palavras, que a fez conquistar permanentemente a Cadeira número dois da Academia Nacional de Letras Portal do Poeta Brasileiro.

“Escrever é transformador. Sempre que me converto em palavras já não sou a mesma. A cada metamorfose, sinto-me não necessariamente melhor, porém mais inteira.”
(Luciana Dimarzio)

(...)




DESUNIÃO

Quando a gente se separa
Fica uma fissura
Pequena fresta
Onde passam todas as agulhas
Onde vertem todos os desejos
Onde dormem todas as saudades
Onde jorram lágrimas salgadas

Fagulhas são ardências
Agulhas são dormências
Dores pontiagudas
Latejam os sentidos
Dominam pensamentos
Martelam sentimentos

Machucam corações

Liz Rabello





CORAÇÃO DE POETA
Ando devagar
Pela rua abafada

De sons da multidão
Afoita, triste caminhante!
Passante! Alma perdida
Olhar solto ausente
De vitrines e espelhos
Nada que me chame atenção
De repente uma gota de orvalho
Cai na telinha do celular
Voo raso de andorinha
Que não sei onde quer chegar
Acompanho o rodopio
Pelos céus a se afundar
Observo o fugidio perfume
Deste meigo alçar.
Para onde foi meu pensamento?
Neste imenso firmamento?
Em busca de estrelas pra namorar?
Tiro pés do chão... Voo!
Que poeta sou e amo divagar!

Liz Rabello







MEU AMADO LEITOR... OBRA DE ARTE CONSTRUÍDA COM FITA ADESIVA E PAPELÃO POR SAULO (ESTAÇÃO DO JARAGUÁ/ 2014)





MEUS LIVROS NA ESTANTE DE MEUS AMIGOS
LEIDE BORGES QUE PRAZER!



OBRIGADA  CARLA  VERAS

LANÇAMENTO DA ANTOLOGIA DELICATTA IX
23ª BIENAL DE SÃO PAULO 2014





LAÇOS DE AMOR
Há sempre um ponto
Uma encruzilhada
Um banco
Uma esquina
Um lance de olhar
Uma gota de orvalho
Uma luz ao luar
Uma fonte a jorrar
Uma chuva constante
De lindas notas musicais
Onde o amor está!

Liz Rabello




ONDE ESTÁ O AMOR?

Há sempre uma porta aberta
Uma janela a sorrir à luz do sol
Uma flor abrindo pétalas de cores
Exalando mil aromas
Gritos e gemidos de orgasmos
Lances de poesia dos sorrisos de crianças
Lambidas e carinhos de animais de estimação
Onde a única nota musical a soar é o Amor!

Liz Rabello




CARRINHO DE TESOUROS
MEUS LIVROS SOLO E ANTOLOGIAS




6 comentários:

  1. Valquíria Marotti ... Seu texto de leitura e suas palavras foram ótimas. A mim soaram como Crítica Literária e me dão forças para continuar a escrever dentro de um estilo próprio, sem me preocupar com o gênero, porque misturo tudo: Conto com Poesia e Crônica... Por vezes, Causos ou Monólogos. Arrisco em nome do que pressinto. Não posso me preocupar com elogios ou críticas de quem entende do assunto. Conheço apenas um escritor que escreve assim: Júlio Emilio Braz e não é famoso. Amo os livros dele e o estilo.

    ResponderExcluir
  2. Liz, amiga, confreira de largo sorriso, terminei de ler seu livro. Li como sugere o título da obra com "Intervalos". Quando cheguei à página 116, fiquei triste, porque tive que despedir-me de sua presença marcante em cada página lida. Em Intervalos emocionei-me, ri, entristeci, em muitas passagens recordei da minha própria infância. Fiz uma viagem e tanto. Neste ano como propósito, colocar em dia a leitura dos livros dos colegas. Comecei bem lendo Liz Rabello. Grande abraço confreira, e parabéns por este livro, e pelos que estão nos projetos. (Andrade Jorge)

    ResponderExcluir
  3. " Entre um conto e outro, Liz Rabelo nos brinda com intervalos poéticos que amarram a narrativa dos contos, como se fosse um aperitivo, antes de saborear o próximo conto, revelando seu talento poético." (Cícero Carlos)

    ResponderExcluir
  4. "Amei conhecer uma parte da sensível e talentosa Liz Rabello que se divide em "Mil Pedaços" para que possamos desvendá-la. Meu abraço repleto de carinho!"
    (Luciana Dimarzio)

    ResponderExcluir
  5. Agora já um pouco mais organizada e de volta ao meu habitat natural, comecei ler nos meus intervalos o seu INTERVALOS. Estou deslumbrada, em breve farei um post legal em meu site que está desatualizado desde maio. Beijo Terno!
    (Vera Lúcia Favero Margutti)

    ResponderExcluir
  6. "QUERO DIZER-LHE QUE LI "LUA NO CHÃO" FIQUEI APAIXONADA PELO "MILAGRE DA VIDA" TRECHOS - Caminhos entrecortados - ao acaso perdido - sorrisos se espalham e sonhos coloridos. Acredito que todos nós temos um pedacinho de "Lua no Chão"
    Você é uma pessoa de mil brilhos... (Diva Barbosa - Via Facebook)

    ResponderExcluir

Aqui você pode comentar...